quinta-feira, 15 de novembro de 2007

ALMA LAVADA - por Rodrigo Curty

Ontem em jogo isolado do campeonato brasileiro da Série A, o Palmeiras fez a lição de casa. Depois de tropeçar nas duas últimas rodadas, derrotas para Juventude e Sport, finalmente o palestrino voltou a acreditar na conquista da vaga da taça Libertadores.

O verdão teve uma derrota no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, após o presidente Rubens Approbato negar o pedido de efeito suspensivo do departamento jurídico do clube para o caso Valdivia, suspenso em cinco partidas, devido às agressões em Thiaguinho e Alan Kardec do Vasco. Cabe o recurso no dia 22 de novembro. Mas o craque fez falta?

Bem, considerado como peça chave do meio de campo do Palmeiras e responsável pela qualidade do passe e da qualidade técnica, claro que sim. Mas se considerarmos que a experiência de um antigo craque consagrado do time ajudou e muito na vitória, essa ausência não foi tão sentida.

Edmundo Alves de Souza Neto, o craque Edmundo, “o animal” parecia um garoto na noite de ontem. Muita chuva, poça d’água e o craque como sempre tratando a bola com qualidade. Foi assim que num passe que só quem conhece pela ocasião consegue dar, colocou o atacante Rodrigão na cara de Fernando Henrique, esse com um toque sutil fez a alegria de quase 25 mil pagantes.

Jogo ruim tecnicamente, também pudera com a tempestade que desabou no jardim suspenso e em toda São Paulo, mas o que importa ao palmeirense é estar novamente no G4. Pelas contas do técnico Caio Júnior, faltam, apenas quatro pontos dos seis a serem disputados.

O Verdão tem um jogo complicado no dia 25/11 contra o Inter no Beira-Rio, mas depois encara o Galo mineiro no Palestra Antarctica. É o jogo que pode fazer o clube terminar bem o ano. Se não tiver nenhum acidente de percurso, tudo indica que palmeirenses, são-paulinos, santistas e flamenguistas passam a virada do ano de alma lavada.