terça-feira, 27 de novembro de 2007

UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA - por Gustavo Cavalheiro

Poderíamos falar sobre a volta do Bahia à Série B, poderíamos falar sobre os atletas, sobre a festa da torcida, sobre o próximo ano, mas infelizmente temos de falar de mortes nos estádios brasileiros.

Por incrível pareça, dessa vez, não se trata da violência entre torcidas rivais, foi sim a violência a que todo torcedor do Brasil está exposto e, infelizmente, acostumado que causou essa tragédia: o mal-trato ao público por parte da falta de infra-estrutura.

Há pouco tempo, quando inaugurou-se a Arquibancada Visa no Estádio Palestra Itália (item de matéria especial em breve) tive de ler e ouvir comentários absurdos de torcedores que são contrários a ter um setor do estádio com cadeiras, números demarcados, um lobby antes de entrar no setor, com um bar temático, fotos históricas, banheiros dignos e etc como um lugar de "amendoins" e elitista (pelo preço: R$ 45 e R$ 22,50 meia).

Amigos, não se trata de elitizar, mas sim HUMANIZAR as condições aos quais os torcedores são tratados. Os defensores do "péssimo e aparentemente barato", não param para pensar que o caro não é ter uma condição digna por R$ 45 (até menos do que ele mesmo paga ao cambista nos jogos especiais) e sim pagar R$ 20 pra sentar no cimento, banhar-se na urina ao ir ao banheiro sem torneiras e privadas, sem água, comer mal e ser levado feito gado. Com você lá nesse barril de pólvora, pagando.

Imagine se num domingo qualquer, você pegar os mesmos R$20 (inteira ou R$ 10 meia) do ruim e aparentemente barato futebol e for a uma rede de cinema do shopping. Como você seria tratado? Por sinal, um ingresso dessas redes de cinema é mais barato que um jogo no cimento e lá você tem poltronas, serviço, oferta de comida e um banheiro melhor até que o da sua casa. O que é caro?

Voltando a tragédia, sete pessoas morreram na Bahia e agora falam em implodir a Fonte Nova. Muitos vão procurar os culpados apenas para esse caso pontual, muitos podem pagar o pato devida e indevidamente, mas pelo bem do "pão e circo brasileiro" o show deve continuar e pior, aparecerão abutres falando em soluções economicamente vantajosas apenas para eles visando 2014.

Até lá, você, eu e qualquer um somos vítimas de um orquestramento de incompetências de longa data.