segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

RODADA DOS TRICOLORES - Por Rodrigo Curty

O final de semana foi repleto de bons jogos, estréias, tabus quebrados, consagrações, erros de arbitragem, e por aí vai.

Foi um final de semana tricolor em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Bahia e no Sul do país.

O clássico entre o Paraná Clube e Coritiba marcou a estréia de Paulo Bonamigo no comando do tricolor. E que estréia, um jogo que se não foi tão bom tecnicamente, mostrou que o trabalho deixado por Saulo de Freitas não era tão ruim como falaram.

Bonamigo elogiou bastante a forma que encontrou a equipe, e parabenizou a comissão técnica anterior.
Com a vitória o time pulou para a oitava posição. Ainda é pouco, mas nada como vencer um clássico para dar ânimo e exaltar o trabalho de Paulo Bonamigo.

No Sul do país, o torcedor gremista pode ver a estréia do meia Roger.

Quem também não perdeu a oportunidade de ver o novo reforço tricolor foi a sua namorada, a atriz Débora Secco.

O meia teve uma bela participação na vitória do Grêmio por 2x0 sobre o Novo Hamburgo. Mesmo sem estar no seu melhor condicionamento, Roger mostrou o toque de bola refinado, e ainda reclamou um pênalti não marcado. Foi muito bem. Como a primeira impressão é a que fica, creio que conquistou a difícil torcida gremista. Sucesso ao novo camisa 10, que reconhece que precisa voltar a brilhar e mostrar que é sim um grande jogador.

Em São Paulo não faltou emoção no San-São. Foi um clássico que teve de tudo. Falhas, gols perdidos, erros de arbitragem e expulsões.

O tricolor foi mais eficiente e conseguiu vencer o peixe por 3x2. Com gols de Fabio Santos, Juninho e de Carlos Alberto. Foi o primeiro de cada um deles com a camisa tricolor. Quem vibrou muito foi o antigo desafeto de Leão, Carlos Alberto.

Mesmo fora de sua melhor forma física, o meia conseguiu após um contra-ataque, matar o peixe, com uma ajuda ou se preferir infelicidade de Domingos que no primeiro tempo quase já havia marcado contra.

Para o Santos sobrou reclamações contra o árbitro Antônio Rogério Batista do Prado que não marcou um pênalti de Miranda após chute de Kleber Pereira. Esse que perdeu três oportunidades de matar a partida, como quem não faz toma, reclamar agora não fará a diferença, ou quem sabe pelo menos afaste Antônio Rogério Batista do Prado das próximas partidas do Peixe. Terá essa força o Peixe como tem o tricolor quando reclama?

Independente de erros ou não, isso sempre vai ocorrer, mas pelo lado do futebol, a torcida do São Paulo agradece e espera que finalmente o time tenha acertado o pé e reencontrado o bom futebol do ano de 2007.

Vamos falar do clássico mais romântico do país. O Fla x Flu foi de arrepiar. Para quem esperava um jogo de comadres, um jogo sem tempero, sem grandes jogadas, queimou a língua. Assim como em São Paulo, o clássico teve de tudo.

Um time de reservas de cada lado e muita disposição de alguns jogadores que querem mostrar aos comandantes que podem ser titulares. No lado tricolor quem fez a diferença foi o meia Thiago Neves.

O Rio estava em um caos só. Muita chuva, inundações, falta de energia que deixou o estádio Mario Filho, o Maraca, às escuras. O jogo inclusive foi quase suspenso.

39 mil torcedores viram o meia marcar três vezes, sendo duas de falta e enlouquecer os tricolores na arquibancada. Não é todo dia que se quebra uma invencibilidade de um rival que não perdia no Maracanã desde o ano passado. O tricolor com a goleada chegou a marca histórica de não ser derrotado no estádio há 18 jogos.

A última derrota foi para o mesmo Flamengo no primeiro turno do Brasileiro. Os tricolores agora só torcem para que essa invencibilidade não vá abaixo na semi-final contra o Botafogo, e se passar para a final contra o próprio rubro-negro ou o Vasco. É aguardar e ver, o certo é que emoção com certeza não faltará na Cidade Maravilhosa.

Na Bahia, também deu tricolor. O Bahia venceu o maior rival, o Vitória por 2 a 0. Clássico longe de seu maior palco, a Fonte Nova, foi realizado no Barradão. Este foi o quinto clássico da história no estádio rubro-negro.

Parabéns aos tricolores e sucesso aos alvi-negros, alvi-verdes e rubro-negros nas próximas rodadas.