quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

TODOS CONTRA O BOCA - Por Rodrigo Curty

O grupo 3 da Libertadores tem um dos favoritos ao título desse ano. Falo do Boca Juniors. Um time que não se pode brincar. Um time que não se incomoda com maus resultados.

É o favorito ao primeiro lugar, mas para os outros do grupo, apenas mais um time a ser batido.

No ano passado, por exemplo, o Boca terminou em segundo do seu grupo, sofrendo duas derrotas, mas deixaram chegar, e o final todos sabemos.

De volta a equipe, o craque Riquelme que provar que pode fazer novamente a diferença.

Juntam-se a outros importantes jogadores como o rápido Rodrigo Palácio e o matador Palermo, o zagueiro paraguaio Julio Cesar Cáceres e outro bom atacante, Castroman.


O Boca participa pela 21ª vez e quer o seu sétimo título no torneio. Alguém dúvida?

Time-base: Caranta, Ibarra, Cáceres, Maidana e Morel Rodríguez; Ledesma, Bataglia, Dátolo (Neri Cardozo) e Riquelme; Palermo e Palacio. Técnico: Carlos Ischia.

Colo Colo: O tetracampeão chileno, busca seu segundo título da Libertadores. O clube investiu R$7 milhões de reais e manteve a base, com exceção de Giovanni Hernández, que se desvinculou do clube.

Três jogadores chegam para disputar o torneio pelo Colo Colo, são eles: o zagueiro chileno Ricardo Rojas (do América do México), o meia paraguaio José Salcedo (Racing-ARG) e o atacante argentino Lucas Barrios (Atlas-MEX).

A meta do Colo Colo, porém é passar pela primeira fase e ver o que acontece na hora do mata-mata.

Time-base: Muñoz, Luis Mena, Riffo e Rojas; Fierro, Villarroel, Sanhueza, Salcedo e Daniel González; Biscayzacú e Lucas Barrios. Técnico: Claudio Borghi.

Atlas: O time mexicano não atravessa uma boa fase. Mas a Libertadores já mostrou em outras edições que nem sempre são os melhores que passam as fases seguintes.

O time não consegue achar um padrão de jogo e somente chegou para sua segunda Libertadores da história, após sofrer para vencer o San Luis, da Bolívia. É sem dúvida, uma das zebras da chave.

O Atlas trouxe para quem sabe fazer o time passar pelo menos para a próxima fase, o goleiro Bava, os meias Centurión e Vivas, e o atacante Achucarro.

Time-base: Bava, Colotto, Serrano, Ayala e Medina; Hernández, Valdéz, Rergis e Centurión; Marioni e Achucarro. Técnico: Miguel Ángel Brindisi

Maracaibo: A expectativa é que a campanha desse ano seja bem melhor que a de 2007, quando foi o saco de pancada do grupo que tinha Flamengo, Paraná e Potosí.

Para a disputa desse ano chegaram reforços importantes, como o meia Jorge Rojas, que estava no América de Cáli, e o atacante Armando Maita, ambos convocados para o último jogo da seleção venezuelana.

Na equipe, há outros nomes conhecidos, como os meias Mea Vitali e Urdaneta, e o goleiro colombiano Henao, que já defendeu o Santos.

Difícil apostar que esse ano será diferente, mas...

Time-base: Henao, Muñoz, Lancken e Machado; Chirinos, Mea Vitali (Fernández), Urdaneta, Beraza e Rojas; Guazá e Maita. Técnico: Jorge Pellicer.