terça-feira, 15 de abril de 2008

SERÁ QUE AGORA É PRÁ VALER- Por Rodrigo Curty

A noite da última segunda feira, mas precisamente, no dia 14/04/2008, um dos maiores craques, senão o maior dentro da área, Romário de Souza Faria, afirmou que agora é pra valer.
No Brasil e no Mundo, o eterno camisa 11, nos 22 anos de carreira profissional, defendeu apenas nove clubes.

De todos esses que tiveram o privilegio de ter o baixinho no elenco, o Vasco foi onde ele teve as suas maiores alegrias. Romário com a camisa cruz-maltina conquistou Foi também no time da Colina, onde o atacante se tornou artilheiro do Brasileiro por duas vezes, em 2001 e 2005, ganhando até uma estátua em São Januário. Romário marcou no Vasco 326 gols em 410 jogos.

No grande Rival Flamengo, o baixinho teve um momento ruim na carreira. Fez parte de uma das maiores decepções da equipe rubro-negra, o centenário do clube. Ironizado por formar o então pior ataque do Mundo, ao lado de Edmundo e Sávio, conquistou apenas dois Cariocas e uma Copa Mercosul. Nos quase cinco anos que lá permaneceu, o baixinho marcou 204 gols em 240 jogos, excelente marca.

Outro grande do Rio que teve Romário foi o Fluminense. No tricolor, a passagem foi ruim e o máximo que conseguiu foi chegar as semifinais do Brasileiro de 2002. Lá ele marcou 48 gols em 77 jogos.

Os clubes estrangeiros:

PSV- Holanda: O craque permaneceu na Holanda por cinco temporadas( 1988 a 1993). Conseguiu a proeza de marcar quase um gol por jogo, foram 165 em 167 jogos, sua melhor média na carreira. Conquistou na Holanda três campeonatos nacionais e duas copas.

Barcelona: Foram 53 gols em 84 jogos. Tudo isso no período de 1 ano e meio apenas. Até hoje é lembrado na Espanha, por causa do time que também tinha Zubizarreta, Guardiola, Koeman e Stoichkov. No Barcelona, Romário também disputou - e perdeu - uma final importante: 4 a 0 para o Milan na Liga dos Campeões, em 1994 e foi de lá que o baixinho retornou a Seleção Brasileira para a então conquista da vaga para a Copa dos Estados Unidos, onde foi considerado o melhor jogador do Mundo.

A segunda experiência do atacante no futebol espanhol foi curta e sem o sucesso de sua passagem pelo Barcelona. Romário chegou ao Valencia em 1996 e marcou 14 gols em 21 jogos. Mas as brigas constantes com o então técnico da Seleção Espanhola, Luis Aragonés, fez com que retornasse ao Flamengo após 8 jogos. De volta ao clube espanhol, se contundiu e foi descartado pelo técnico substituto de Luis e depois Valdano, o italiano Claudio Ranieri.

Na Arábia, em 2003, pelo Al Sadd, Romário ficou apenas três meses e jogou somente três partidas, nas quais o time acumulou duas derrotas e um empate. Além disso, o Al Sadd foi o único time na carreira de Romário que não contribuiu com qualquer dos 1.002 gols da sua contagem. E tem mais: Romário se desentendeu com o treinador e foi barrado.

Nos Estados Unidos Romário defendeu a equipe do Miami. Acredita-se que o clube foi um dos responsáveis de fazer o baixinho se aproximar dos mil gols. Lá ele marcou 22 gols, em 29 jogos.

Perto dos 41 anos de idade, Romário não tinha tempo a perder na corrida rumo aos mil gols. Depois de ver fracassada a negociação com o Tupi-MG, ele acertou com o Adelaide, da Austrália. Mas a passagem do atacante foi decepcionante na terra do canguru. Fez apenas um gol em quatro jogos e foi bastante criticado pela imprensa local, que viu na contratação do atacante um investimento grande e desnecessário.

Em breve o povo brasileiro ou simplesmente o apaixonado por futebol, poderá adquirir um DVD com mais de 900 gols da carreira de Romário em um total de 1.002. Não dá pra perder...vale saber se o craque para mesmo após os merecidos jogos de despedida ou se aceita a proposta do Botafogo.