terça-feira, 27 de maio de 2008

PRESENÇA DE AYRTON - por Diego Senra

Nesse ultimo fim de semana, nenhum nome foi tão celebrado no Principado de Mônaco quanto o de Ayrton Senna. Além de ser conhecido como Mister Mônaco por suas seis memoráveis vitórias, o brasileiro foi muito lembrado por todos por ser uma sólida e constante referência para os destaques do final de semana.

Começando na sexta-feira, o piloto e sobrinho Bruno Senna venceu a etapa principal da GP2, comemorando a continuidade da tradição dos Senna e comentou que esperava ter feito seu tio ter orgulho dele. Senna sobe no campeonato e sai de Mônaco dividindo a liderança da GP2 com o italiano Giorgio Pantano.
No sábado, Felipe Massa tirou um coelho da cartola cravando a pole-position na última volta do treino, quando todos já davam a posição como assegurada por Kimi Raikonnen. Mesmo para Massa a surpresa foi muito grande, já que havia declarado não gostar do circuito e não vir apresentando nada de especial nos treinos. Ao ser comunicado sobre a pole, teve um acesso de riso no cockpit e dedicou a flying lap à Ayrton Senna, dizendo que só poderia realizado o feito sob sua “inspiração”. Massa vem crescendo e ganhou elogios do tricampeão Niki Lauda, que comentou: “Massa mostrou hoje que pode ser campeão na Fórmula 1”.
E no domingo, uma prova empolgante que começou sob uma chuva que apertou e acabou num espaço de meia hora, gerando uma loteria na escolha de pneus, pit stops, rodadas e acidentes.
Favoritos como Raikkonen e Alonso se atrapalharam e zebras como o alemão Adrian Sutil, que foi o piloto do dia, tiveram a chance de mostrar serviço inclusive chegando a estar na zona de pontuação mesmo com um carro limítrofe como o da equipe Force Índia.

Após uma lambança na estratégia de corrida da Ferrari (que tirou a vitória de Felipe Massa), o inglês Lewis Hamilton venceu a prova e se emocionou, dizendo que era o ponto alto de sua carreira e que, nas ultimas voltas, pensou muito nas vitórias de Ayrton Senna, seu ídolo confesso. Robert Kubica em segundo e Massa completaram o pódio.
Dos demais brasileiros na pista, Rubens Barrichello foi o sexto colocado, fazendo seus primeiros três pontos na temporada após 22(!) largadas sem pontuar. Nelsinho Piquet fazia uma boa prova, mas uma escolha infeliz de pneus tornou seu carro indirigível e ele acabou não completando a prova. O Campeonato de pilotos está aberto, com Hamilton, Raikkonen e Massa separados por apenas quatro pontos. Mas certamente nenhum deles foi tão comentado no fim de semana quanto Ayrton Senna.

Serviço completo em Indianápolis

Contando com um acerto impecável da equipe Ganassi, que já havia lhe garantido a pole-position, o neozelandês Scott Dixon faturou as 500 Milhas de Indianápolis sem sustos dominando o terço final da prova, superando o brasileiro e segundo colocado Vitor Meira. Os brasileiros fizeram bonito, chegando a liderar a prova com Tony Kanaan, Bruno Junqueira, Mario Moraes e Vitor Meira, alternadamente. Helio Castro Neves, um dos preferidos da torcida, chegou em quarto lugar.

E olha que mal começou...

O que começou como um rumor começa a ganhar um vulto que não era esperado. O tão comentado exame antidoping na Stock Car flagrou o líder da Copa Vicar (ex-Stock Light) e vencedor das duas primeiras etapas Paulo Salustiano por uso de substância proibida no exame realizado na primeira etapa do campeonato, em Interlagos. A CBA puniu o piloto com a desclassificação, devolução de troféus e premiações, além da perda dos pontos das duas etapas e uma suspensão (já cumprida) de 30 dias, contados à partir da prova de São Paulo. Após o anúncio seu pai, Wagner Salustiano, afirmou que a substância encontrada seria a Finasterida (a mesma usada por Romário) que teria sido utilizada no tratamento contra a calvície precoce de seu filho e, por conta disso, abriram mão da contra-prova.

...e parece que já vai acabar.

Mesmo após o anuncio do doping, punição do piloto e a declaração da família sobre o uso da suposta substancia, a CBA não confirma se foi mesmo Finasterida a substância que foi encontrada na coleta do piloto. E mais: nas etapas seguintes, Brasília e Curitiba, o exame antidoping não foi realizado novamente. Se a busca é por lisura, segurança e transparência, o controle tem que ser feito em todas as etapas, ainda mais considerando que na primeira bateria já teve um caso positivo entre os líderes da categoria.

Aposta da Semana:
Depois de passar perto com o Kubica semana passada (que chegou a liderar) vou apostar no futebol, que tem uma semana decisiva na Copa do Brasil.

Pra mim, a final vai ser Corinthians x Sport-PE. Apesar do Corinthians jogar só com meio time titular (já que as principais peças estão suspensas), a equipe vai jogar em casa com mais de 65mil torcedores empurrando o time, que precisa de uma vitória simples para se classificar.
Diego Senra escreve sobre automobilismo para o EA! todas as terças-feiras