terça-feira, 22 de julho de 2008

DIA DE SENNA - por Diego Senra

Quem acompanhou o GP da Alemanha de F1 nesse domingo passado, tem que concordar comigo: o inglês Lewis Hamilton teve um dia de Senna na pista.
Considerado favorito até antes dos motores roncarem no primeiro treino, Hamilton dominou os treinos livres e arrancou a pole nos últimos segundos. Na corrida, liderou com folgas enquanto pau quebrava no pelotão intermediário, com toques e ultrapassagens e, no momento que o braço da suspensão da Toyota não agüentou e Timo Glock se estabacou no pit-wall, a corrida estava definida. Dali pra frente embaralharam-se as cartas e o jogo começou de novo e até mesmo quem vinha com cartas ruins, como Nelsinho Piquet, teve uma nova chance. Hamilton acabou caindo para quinta posição e começou uma arrancada rumo à vitória, digna dos melhores pilotos da história.
Por ordens de Ron Dennis, Kovalainen abriu para Hamilton, que caçou e fez ultrapassagens de Massa e Piquet, literalmente jogando o carro pra cima dos dois, com uma postura muito agressiva que lhe garantiu a vitória e a liderança do campeonato, com 4 pontos à frente de Felipe Massa, que acabou em terceiro. E num dia em que Hamilton deu show na pista, só outro piloto merece todos os elogios: Nelson Ângelo Piquet. Depois de treinos e classificações decepcionantes, o piloto estava muito frustrado na noite do sábado anterior à corrida, ainda mais com a cobrança pública do companheiro de equipe, Fernando Alonso, de que a equipe precisava de pontos dele para conseguir seu objetivo, que é a quarta colocação no campeonato de construtores.
Largando na 17ª. posição, Nelsinho vinha fazendo uma prova consistente quando foi abençoado pela sorte. Logo após seu primeiro pit-stop, houve o acidente com Glock e teve a entrada do Safety Car. A grande maioria dos pilotos parou nos boxes, deixando Nelsinho na terceira posição, atrás de Hamilton e Heidfeld que ainda não tinham parado. Após o round final de paradas, Nelsinho era o líder, seguido de Massa e Hamilton. A partir daí, começou a mostrar seu talento, virando na mesma velocidade que as Ferrari e McLaren, mostrando que, se tiver um bom carro, pode sim estar entre os principais pilotos da categoria. Não quis lutar e praticamente abriu para a ultrapassagem de Hamilton, pois queria garantir os pontos e o pódio, além de não permitir a aproximação de Massa. Levou a Renault a um inédito segundo lugar na temporada, fez seu primeiro pódio com apenas 10 provas na categoria e, principalmente, deve garantir seu lugar na Renault no ano que vem, o que pode ser fundamental para sua carreira à longo prazo. Seu único lamento era que não tinha ninguém da família nem dos amigos para comemorar com ele em Hockenheim, apesar dos vários elogios de Briatore e Lauda, por exemplo.
Dos demais, reclamações por parte de Felipe Massa, que não teve carro pra acompanhar Hamilton e deu declarações preocupadas em relação ao desempenho da Ferrari. Raikkonen terminou em sexto e Kubica em sétimo, colocações que os afastam da briga pelo título. Além deles, Alonso decepcionou na corrida, mesmo usando o acerto do carro desenvolvido pelo Nelsinho para a pista, já que seus acertos não davam equilíbrio ao conjunto. Num dia com Hamilton em dia de Senna, só deu festa brasileira no pódio.
Corrida Histórica
Varias marcas memoráveis foram estabelecidas nesse fim de semana na Alemanha: Hamilton, Massa e Piquet fizeram nesse fim de semana o pódio mais jovem da história da F1, com a média de idade dos três primeiros de 24 anos, sete meses e um dia. Além disso, Nelsinho se tornou o 4º. brasileiro a conquistar mais rápido seu primeiro pódio na F1 (10 etapas), somente atrás de Emerson com 4, Senna com 5 e Moreno com 9 provas, sendo que o Piquet-Pai demorou 21 corridas. E para fechar com chave de ouro, tivemos dois brasileiros ao pódio na mesma prova, o que não acontecia desde agosto de 1991 no GP da Bélgica em Spa, com vitória de Senna e terceiro do Piquet-Pai.

Dança das Cadeiras
O espanhol Fernando Alonso continua gerando expectativa no paddock em relação ao seu destino em 2009. Como bem disse Rubinho, todos estão esperando ele se mexer para tudo se decidir. Nelsinho andava meio ameaçado na Renault pelo francês Grosjean, mas pode ter uma sobrevida por conta de seus últimos desempenhos. A Red Bull confirmou Vettel para o lugar do semi-aposentado Coulthard. Ross Brown também confirmou a manutenção da dupla de pilotos da Honda para 2009, mas voltou atrás no dia seguinte, após os pilotos negarem já terem assinado qualquer contrato. Kubica ainda não assinou nada na BMW, que já manifestou interesse em Buemi e Senna, que hoje correm na GP2. Senna esse que deve ter seu assento garantido na Toro Rosso no ano que vem. Com o pescoço na guilhotina hoje, coloco Heidfeld, Kovalainen e Glock.

Enquanto isso, na divisão de acesso
O fim de semana na GP2 foi bastante movimentado nas duas provas, com vitórias e desclassificações. No sábado, Grosjean ganhou mas não levou. Punido por ultrapassar em bandeira amarela, perdeu o primeiro lugar para Giorgio Pantano, terminando em segundo, seguido de Parente, Senna e Di Grassi. No domingo, Di Grassi fez uma ótima largada, pulando de quarto para primeiro, mas foi ultrapassado pelo pole Chandhok. O indiano ganhou a prova, seguido de Zuber e Senna. O líder do campeonato continua sendo o italiano Pantano, seguindo pelo brasileiro Bruno Senna, que ainda briga pelo título.
AOS LEITORES:
Vou me ausentar pelas próximas duas semanas, pois vou fazer uma coisa que ninguém pode fazer por mim: CASAR! Encontrei a tampa da minha panela e pretendo ser feliz para sempre ao lado dela. Vou tirar uma semaninha de lua-de-mel (ninguém é de ferro) e volto com a coluna no dia 12 de agosto, ok? Grande abraço a todos.
Diego Senra escreve sobre automobilismo toda terça-feira para o Esporte Acontece!
Leia, participe e comente