sexta-feira, 18 de julho de 2008

MAIS 4 ANOS - por Gustavo Cavalheiro

Esperei o fim do jogo entre Brasil e Alemanha no pré-olímpico de basquete para escrever minha coluna de hoje. Não que eu achasse que o Brasil venceria a partida, mas queria ver como perderíamos.


"Levamos dois sacodes" da Grécia e da Alemanha, verdade. "Caimos de pé", poderiam dizer alguns, mas o que realmente acontece é que nós brasileiros não somos dados às derrotas, infelizmente não utilizamos um fracasso como mola propulsora rumo ao sucesso. Nossa derrota de hoje, deixa de ter valor daqui a dois minutos, pois não teremos nenhum aprendizado institucional pro futuro.


Os meninos de Moncho foram brilhantes, aplicados e lutaram até os últimos segundos, diante de um time mais eficiente, mais brilhante e definitivamente melhor. Claro que o Marcelinho (não o Huertas) fez um torneio ruim, mas longe de mim querer imputar culpa em qualquer um dos bravos e heróicos jogadores que foram à luta, mesmo sabendo de suas limitações.


Culpo sim os Leandrinhos, Varejões, Guilhermes, Valtinhos e outros RATOS que fugiram por motivos econômicos em detrimento ao sentimento de ajudar o esporte do país.
Mas se enganam aqueles que acham que o seu atual dinheiro, pode garantir o exílio de sua pátria mãe pela vida toda. Mais hora, menos hora eles terão de voltar: seja pra encerrar suas carreiras, virarem técnicos ou comprar um posto de gasolina, por exemplo.


Abomino-os profundamente, muito mais que abomino aqueles mercenários que trocam de pátria pra jogar por seleções alheias. Já disse aqui que sou favorável a uma lei que barre os mercenários, esses deveriam perder a nacionalidade brasileira por optarem JURAR OUTRA BANDEIRA. Deveriam perder o direito de votar, ser votado, ter visto de trabalho e entrar no país caso seu novo país não tenha relaçoes diplomáticas com o Brasil.
Já os RATOS fujões merecem somente o nosso desprezo!


Voltando ao basquete, sinto que Moncho poderia ter feito muito mais diferença se estivesse no pré-olímpico de Las Vegas, com um time com peças com mais qualidade.
A diferença do time do Moncho está na defesa. A defesa deste time frente aos outros "Brasis" é absurdamente impressionante.


De fora, palpitando ou cornetando eu acredito que Moncho deveria ser mantido até o próximo Mundial (2010 na Turquia), pelo menos.