terça-feira, 1 de julho de 2008

SOBRE MENINOS E LOBOS - por Diego Senra

Nos campeonatos que acompanhamos mais de perto, vai chegando a hora da verdade. A Fórmula 1 está na metade do campeonato e ainda não aponta um favorito claro ao título. As últimas corridas mostraram que existem pelo menos quatro pilotos com talento e equipamento para brigar e todos com totais condições de serem campeões. Nesse domingo a corrida será em Silverstone, na Inglaterra, onde todos os pilotos já correram e treinaram muito em todas as categorias de acesso e é considerada por todos sua como “segunda casa”. Espera-se uma disputa acirrada por todo o grid, especialmente por dar chances iguais aos pilotos novatos como Piquet e Nakajima. É uma pista que favorece os McLaren, aproximando-os do desempenho das Ferrari. Um bom resultado em Silverstone pode marcar uma arrancada rumo ao título e uma posição fundamental dentro da equipe como primeiro piloto, no caso de Felipe Massa e Kimi Raikkonen.

Na Stockcar, o campeonato também chega na metade da temporada “regular”, a quinta de oito etapas. A corrida será realizada no autódromo de Campo Grande/MS, um autódromo de pista estreita, que normalmente gera corridas imprevisíveis em função de seu traçado e de muita sujeira na pista, facilitando escapadas e batidas. Lá o calor fala muito alto e os carros mais bem equilibrados devem se destacar. Faltando pouco para o início dos playoffs, todos os pilotos buscam se posicionar para garantir seu lugar entre os 10 primeiros, que disputarão o título de 2009 nas ultimas 4 etapas do ano. E no pelotão de trás, todos querem beliscar qualquer pontinho para fugir do tão temido rebaixamento, que esse ano puxa três equipes para a Copa Vicar (Stock Light).


Nesse momento, tem que brilhar a estrela e o talento de cada piloto e o trabalho de cada equipe, porque daqui pra frente não tem mais espaço para erros. A história não perdoa favoritos desleixados. Perdeu agora, só no ano que vem.


Revolução na Fórmula-1
A partir da temporada 2009, vai haver a introdução de um sistema chamado KERS (Kinetic Energy Recovery System ou Sistema para Recuperação de Energia Cinética) que consiste em armazenar a energia perdida pelo carro em frenagens, armazenar e reutilizar/devolver essa força para aumentar a aceleração ou desempenho do carro. A McLaren, entre outras, estuda desenvolver dois carros diferentes para a temporada, pois o equipamento do sistema KERS representa um aumento no peso do carro e, em alguns circuitos, não justifica o ganho. Mas em circuitos específicos, pode fazer a diferença.

Criação da Fórmula-2
Nessa semana foi muito comentada a criação de uma nova categoria de acesso à Fórmula-1. A FIA concebeu esse projeto para funcionar como uma vitrine para os pilotos, com custos bem mais baixos que os atuais. A verdade é que essa proposta de F-2 é uma tentativa do Max Mosley de atingir Bernie Ecclestone (da FOM, idealizadora da GP2) e o budget proposto de €200.000 por temporada para essa nova categoria é ridículo. Para você ter uma idéia, a F3 Sudam consome aqui pelo menos €600.000 e a atual categoria equivalente (GP2) custa €1,5Milhões. Na Europa, equipes de kart gastam mais que isso.

Mudanças na Fórmula-3 Sudam
Conforme comentei numa coluna passada, a Fórmula-3 caminha com a Dallara para uma renovação total na sua “frota”. Mesmo com carros ultrapassados, a categoria sempre teve equipes profissionais, campeonatos competitivos e faz a Fórmula-3 mais rápida do mundo usando os motores argentinos Berta. Além das tradicionais equipes que disputam a temporada, a transição dos carros pode abrir espaço para a volta dos argentinos e demais “hermanos” devolvendo o caráter Sul-Americano, já que nos últimos anos o grid é 100% Brasil.

Aposta da semana
Bom, minha ultima aposta foi uma lástima. Errei a final da Euro e a Espanha (zebra?) foi campeã. E sobre a final da Libertadores é cedo pra dizer, mas ta com uma cara...
Essa semana, vou tentar palpites seguros. Na StockCar, deve dar um dos Medley Boys que vem voando baixo e a pista de Campo Grande é muito difícil de ultrapassar, favorecendo os que largam mais na frente. E na F-1, a corrida é em Silverstone, o mais “manjado” de todos os circuitos. A corrida deve ser muito equilibrada e não deve ter surpresas. Pela ordem: Raikkonen, Massa e Hamilton.
Diego Senra escreve toda terça-feira sobre automobilismo para o Esporte Acontece!
Leia, participe e comente!