terça-feira, 23 de setembro de 2008

À ESPREITA - Por Diego Senra

Com a decisão dos campeonatos de Fórmula 1 e da Stock Car Brasileira se aproximando, os números mostram que o título deve ficar entre Lewis Hamilton e Felipe Massa e entre Ricardo Maurício e Marcos Gomes, respectivamente. Separados por apenas um ponto na F-1 e empatados na Stock, os quatro pilotos ainda não foram campeões em suas categorias, são símbolos de renovação e trazem de volta disputas muito esperadas e há muito esquecidas pelos torcedores.

A Fórmula 1 chega à corrida de Cingapura, cheia de variantes e variáveis. É um novo circuito de rua, que remete à Monaco, e vai realizar a primeira prova noturna da história da F-1. A iluminação vai ser um projeto da Phillips, que promete uma visibilidade impecável. Com toda tecnologia disponível para as equipes, todas já fizeram inúmeros testes e simulações em computador e chegam com molas, suspensões, acertos de asa e cambio pré-configurados para iniciar os treinos livres na sexta (veja uma simulação criada pela RedBull



Além do circuito, outra incógnita é o clima. O sudeste asiático tem um clima quente, úmido e muito instável. Se for uma noite quente, úmida e seca, a corrida fica pra a Ferrari, que anda muito bem em circuitos travados quando consegue aquecer seus pneus. Se forem dias de chuva, a prova cai em domínio da McLaren, que tem dominado as corridas em pista molhada, graças a um carro muito equilibrado e um excelente piloto na chuva (Hamilton). É esperar para ver.

A Stock Car teve sua última etapa disputada no domingo passado no excelente autódromo de Curitiba que, sem variáveis nem surpresas, teve treinos e corrida liderados pelos carros azuis da Medley, que vem ditando o ritmo na maioria das provas. Vitória de Ricardo Maurício, seguido de Marcos Gomes e Thiago Camilo.

Os líderes do campeonato, agora empatados, vêm de uma carreira de sucesso em carros de fórmula e mostram que na Stock Car atual, cada vez mais eletrônica e telemétrica, é indispensável precisão, reflexo apurado e atenção à cada centésimo, cartilha básica dos monopostos.

Mas mesmo com tudo isso, ainda é cedo para cravar que os títulos devem ficar somente entre esses pilotos. Tanto na F1 quanto na Stock, temos grandes feras só na tocaia, esperando um vacilo para entrar na briga e tirar o caneco dos novatos. Na F1, além de Kubica, temos Raikkonen.

No ano passado, o finlandês tomou o título de Hamilton tirando uma diferença maior que a atual em três provas e deixou o inglês chupando o dedo. E na Stock Car, temos Thiago Camilo e o bicampeão Giuliano Losacco, que vem crescendo nas últimas provas, entrou com força no playoff e pode surpreender os Medley Boys na disputa pelo campeonato. São pilotos experientes, com campeonatos na bagagem e que tem talento de sobra para chegar, pegar o vácuo e ultrapassar. Quem podia pedir mais?

PS: Estou escrevendo essa coluna na segunda à noite, antes da divulgação sobre o julgamento da punição de Hamilton na última corrida. Se a punição foi mantida, foi justo, na minha humilde opinião (como já disse antes e repito).

Se os pontos foram devolvidos, abrem-se precedentes sérissimos para que todas as decisões de pista sejam discutidas no tapetão depois das provas. Acho que as seguidas punições à Hamilton e à McLaren desde o episódio da espionagem do ano passado podem ter amolecido os velhinhos da FIA, infelizmente.

Corinthians vai mal, mas o Flamengo vai pior...
No domingo também aconteceram as duas baterias da 2ª. etapa da F-Superliga, realizadas em Nurburgring (Alemanha). Com um ótimo desempenho em seu treino de estréia, Antonio Pizzonia classificou o carro do Corinthians em 3º. lugar para a largada da primeira bateria. Na corrida, chegou a liderar e marcar a volta mais rápida, mas teve problemas de embreagem nos boxes e terminou na sétima posição, com vitória do Milan de Robert Doornbos, e o Flamengo com Tuka Rocha abandonando logo na primeira volta.

Na segunda bateria, grid invertido e vitória do PSV. Tuka Rocha largou em 2º. mas teve um pneu furado e abandonou, e Pizzonia chegou a estar entre os 6 primeiros, mas também teve problemas e terminou em décimo. O Campeonato é liderado pelo Beijing Gouan, seguido do PSV e Sevilla. Corinthians está em 13º. e o Flamengo em 15º.

A categoria tem despertado o interesse da mídia e dos fãs e, depois da estréia em Donington Park, o grid já teve a adição do Atlético de Madri e anuncia que tem mais 4 equipes negociando sua entrada.

Fim de Ano, Mudança de endereço
F-1: Com o fim da temporada 2008 da GP2 e da perna européia da F1, cada vez mais borbulham os boatos. Vamos lá: na Toro Rosso, saí um Sebastien e entra mais um. O suíço Buemi deve ser anunciado no lugar do Vettel, que vai para a Red Bull. Muito comentada também é a volta de Takuma Sato à F-1 na mesma RBR. E as portas para Bruno Senna começam a se fechar, pois ele diz não querer ser piloto de teste e suas vagas para piloto-titular estão sumindo, restando à ele mais um ano de GP2, com a obrigação do título.

Na Renault, é notório que Nelsinho Piquet está na guilhotina, com Lucas Di Grassi aquecendo na beira do campo. Essa semana, Alonso deu sinais que pode ficar na equipe, horas depois do anúncio de Briatore dizendo que a montadora vai aumentar em 35% o orçamento para 2009. Com a permanência de Alonso na Renault, Barrichello e Button podem garantir mais um ano na Honda, assim como outros que esperavam a definição do espanhol.

Stock Car: Ainda é cedo para movimentações, mas muita coisa já acontece: para 2009 a Red Bull sai da equipe de Amir Nasr e vai para a WA de Andreas Mattheis. Nessa troca, a Red Bull sonha levar Cacá Bueno ou Giuliano Losacco para formar um DreamTeam. A RC-Eurofarma ainda tenta segurar Cacá, mas já namora com Ricardo Maurício e Thiago Camilo. Além de pilotos, uma pista está de saída. Nas negociações para a temporada de 2009, foi excluído o circuito de Campo Grande, que não mais atende às exigências da categoria e deve ser substituída pelo Velopark, que será inaugurado no RS.

Concorrência para a GP2

Como já comentei aqui numa das colunas, nos bastidores está em formação uma nova F-2, para concorrer diretamente com a GP2 como categoria de acesso à F-1.
A nova F-2 será organizada pela MotorsportVision ou MSV e é chefiada pelo ex-piloto de F-1 Jonathan Palmer, que contará com os motores fornecidos pela Audi, além de desenho e construção dos carros aos cuidados da Williams.


A abertura do campeonato está prevista para maio de 2009, com oito rodadas duplas, e tem como objetivo oferecer uma categoria-escola com baixos custos sob controle direto da FIA, que pretende outorgar super-licenças para os campeões e tê-los em breve na F-1.

APOSTA DA SEMANA


Na última coluna, previ que o Luciano Burti seria punido no julgamento (abrindo a vaga no playoff para Popó Bueno) e que Ricardo Maurício ganharia em Curitiba, seguindo de Cacá e M.Gomes. Se não fosse o Cacá, seria 100% de acerto. Já tô ficando insuportável!!

Agora, com a loteria de Cingapura, vai ter que baixar o “Pai Dinah”. Apesar de toda a loteria, devemos ter pista seca e teremos pole e vitória de Massa, seguido de Raikkonen e Kubica, só pra animar o campeonato e esgotar tudo em Interlagos.