terça-feira, 30 de setembro de 2008

“FINALMENTE, CAZZO!" - por Diego Senra


Com essa frase do mais alto nível, Flavio Briatore comemorou a vitória do espanhol Fernando Alonso nesse final de semana, fazendo história no primeiro GP noturno da história, realizado em Cingapura.


Após anos de trabalho sem recompensa, a Renault investiu na contratação de Alonso e batalhou o ano todo no desenvolvimento do carro, com o objetivo de ser a quarta equipe no mundial de construtores. E ainda teve uma nova injeção de ânimo recentemente, quando o brasileiro Carlos Ghosn anunciou mais investimentos na equipe para 2009.

Durante todo o final de semana, Alonso foi um dos três mais rápidos na pista, mas foi traído por seu carro na Q2 e praticamente teve um chilique fora do carro, pois sabia que tinha, pela primeira vez no ano, carro pra brigar pela pole. Pole essa conquistada por Felipe Massa, numa volta assombrosa, enfiando mais de meio segundo em Lewis Hamilton, que largou em segundo lugar.

Apostando numa tática suicida, Alonso largou com pouco combustível e pneus moles, estratégia pouco comum, ainda mais em circuitos travados e com poucos pontos de ultrapassagem, sendo o primeiro piloto a fazer o pitstop. A maioria dos pilotos do pelotão da frente faria suas paradas até duas voltas depois.

Aí, entra uma ajuda extremamente infeliz do seu companheiro de equipe, Nelsinho Piquet. Em uma escapada num trecho muito ondulado da pista, Nelsinho entra de lado e arrebenta o carro, cavando um safety car.
Com a entrada do safety car e o combustível acabando, todos foram para os boxes e aconteceu mais uma pataquada ferraristica. Massa liderando a corrida entra no pit, troca pneus, abastece, recebe o sinal verde e arranca, mas com a mangueira de combustível atracada no carro (coisa que já tinha acontecido com Raikkonen em Valencia). Resultado: mecânicos feridos, Raikkonen preso no pit com a desorientação da equipe, correria do pessoal até o fim do pitlane para retirar a mangueira do carro de Massa e uma corrida fundamental para o título jogada pelo ralo. Ótimo para Alonso, que já tinha feito seu pitstop e começa a ganhar a corrida ali, quando se beneficia do safety car e vê o caminho para o pódio se abrir, assim como foi pra Piquet na Hungria.

Após as rodadas de pitstops e safety cars, vitória de Alonso, que foi o melhor piloto do fim de semana, seguido de Rosberg (que se não tivesse sido punido com um drive-thru, teria vencido) e Hamilton. No finalzinho da corrida, Raikkonen ainda tentou um sprint final para tentar passar o inglês, mas foi premiado com o muro e encerrou uma série de 46 GPs da Ferrari na zona de pontuação.

Enquanto isso, Hamilton sai de Cingapura com 7 pontos de liderança no campeonato sobre o brasileiro e ainda devolve à McLaren à liderança no campeonato de construtores. Pode?


Sorte de uns...


Para Nelsinho, foi a pior coisa que poderia acontecer nesse fim de semana, crucial para suas ambições de continuidade no time. Sabia que precisava de um bom resultado, pois Alonso vinha sobrando na pista colocando mais de 1 segundo sobre ele em alguns treinos, e ainda mais depois do excelente treino de Lucas Di Grassi durante a semana passada. Fica numa situação muito delicada e sente que o momento é ruim. Após mandar um “sorry guys!” pelo rádio, Nelsinho ficou desolado e muito abatido até deixar o autódromo.

Azar de outros.

A Ferrari está fazendo uma força INCRÍVEL para perder um título que seria fácil para Felipe Massa. O piloto é sempre rápido e consistente, mostrando para o mundo todo qual é o melhor piloto da temporada, mas a equipe vive “sabotando” o brasileiro. Confira a lista de pisadas no tomate: quebra de motor na Austrália, falha no sistema de abastecimento quando liderava em Montreal, erro de pneu na Inglaterra e quebra de motor quando liderava na Hungria, isso tudo sem contar os erros com Raikkonen.
E uma pergunta: Será que o título desse ano também vai ser decidido por um erro num botão? Lembrem-se da burrada do Hamilton e do limitador de velocidade em Interlagos/2008.

Época de Ouro

Essa semana, não poderia deixar de falar de Valentino Rossi. O Doutor, como é chamado o italiano, faturou seu Hexacampeão da Moto GP 500cc ontem, com uma vitória em Motegi, no Japão. Assim como assistimos à Michael Jordan, Magic Johnson e Michael Schumacher e Ayrton Senna, os maiores atletas em seus respectivos esportes, aproveite para ver as corridas do Doutor também, pois é a história acontecendo nos nossos dias.

Indignação da Semana

Na minha aposta da semana passada, errei feio em tudo, pois fui sabotado junto com Felipe Massa pela Ferrari, aí não é culpa minha nem dele. Ao invés da minha aposta semanal, peço licença para expressar minha profunda indignação, como corinthiano.

Foi ventilado hoje na imprensa que o Corinthians pensa em colocar uma estrela cinza no uniforme, pelo eventual título de 2008 da série B. Para mim, essa seria uma estrela da vergonha, uma mancha, que seríamos obrigados carregar em nosso uniforme. Ao sermos campeões, não fazemos nada mais do que nossa obrigação, recolocando o time em seu devido lugar, perante a história do clube. Nenhum time grande e sério põe estrela de título de série B na camisa. Isso é titulo menor, sem importância histórica, comparado à grandeza do Corinthians. Não podemos premiar a incompetência! Não à Estrela da Vergonha!