segunda-feira, 27 de outubro de 2008

UM TIME DE MANO - Por Rodrigo Curty

O dia 25 de outubro jamais será esquecido pelo torcedor brasileiro, ou se preferir pelo torcedor corinthiano.

Nessa data, finalmente o apaixonado, sofrido e fanático torcedor alvinegro, comemorou o retorno à elite do futebol brasileiro, após em um Pacaembú lotado, derrotar o Ceará, por 2x0.

Ao todo, foram quase onze meses de angústia, expectativa e gozações. Mais foi também um período onde a equipe demonstrou que por mais dolorido que tenha sido a queda para a Série B, a glória de voltar, valeu muito a pena.

E o melhor - a queda do “Todo Poderoso Timão”, do tetra-campeão brasileiro, fez bem para o clube. O país, pode ver que uma grande equipe formada por “homens” pode ir longe. Mostrou que sob o comando de um certo e competente Mano Menezes, que já havia feito história com o Grêmio em 2005, e com pessoas teoricamente mais sérias do que os que antecederam no comando, o time chega ao seu devido lugar com mais força, confiança e com sonhos que podem ser concretizados.


Hoje o corinthiano vive um sentimento já vivido por tantos outros torcedores do futebol nacional – Fluminense, Palmeiras, Botafogo, Grêmio, Atlético MG, entre outros. O sentimento de voltar a ser grande. Hoje já não importa se o time será o campeão da Série B, que é algo quase impossível de não se concretizar. O que importa, é o sentimento de ter tido o dever cumprido.

Muitos vão dizer que a Série B de 2008 foi a mais tranqüila dos últimos anos, e que o Corinthians não teve nenhum confronto à altura e não teve clássicos. Isso até pode ter um pouco de verdade, como é fato afirmar também que o Timão enfrentou cada adversário como sendo uma final. Sejamos justos, não se pode tirar o mérito de uma equipe que em 32 partidas, conquista 20 vitórias e sofre apenas duas derrotas, afinal, independente da tal facilidade, isso não é para qualquer um.

Agora em relação ao futuro, resta saber como a equipe controlará essa empolgação, e se conseguirá manter a humildade, e a certeza que apesar de ter um elenco modesto, sem estrelas, causará dificuldades para os que estiverem na Série A, pois a grande força do Corinthians em 2008 foi o conjunto e o foco no objetivo de retornar a elite do futebol.

Alguém dúvida que com essa postura, esse pensamento, e claro com o apoio maciço de sua fiel torcida, que antes sofreu, chorou de tristeza, e hoje comemora e chora sim, mas de alegria, de emoção, pode em 2009 dar vôos maiores?

Parabéns ao 12º jogador, que sempre apoiou e foi o termômetro desse elenco de jovens talentos como Felipe, William, Douglas, Dentinho e André Santos. Parabéns a diretoria que soube se planejar, se reforçou de acordo com a realidade do clube, não cometeu loucuras e realizou fortes trabalhos de marketing já de olho para o centenário do clube, em 2010.

Em 2009, fica uma única certeza – a de que o torcedor e o futebol brasileiro ganham com a presença do S.C. Corinthians Paulista, na Série A, assim como ganhou quando os considerados grandes também voltaram.

Parabéns torcedor!!