terça-feira, 4 de novembro de 2008

É disso que é feita a História! - por Diego Senra

Que corrida! Essa é uma daquelas corridas que marca uma geração de torcedores. É daquelas que faz que crianças pelo mundo queiram se iniciar no kart para serem Hamiltons ou Massas um dia. Por muitos e muitos anos vão se falar sobre a última prova do campeonato mundial de F-1 de 2008. Para muitos, a final de campeonato mais disputada de todos os tempos. E pensar que por cerca de 30 segundos, o título foi de Felipe Massa.
Ninguém, nem mesmo o melhor dos redatores, conseguiria construir um roteiro tão complexo, com tantas inversões e com novos personagens interagindo nas últimas cenas do filme.Interlagos fez, mais uma vez, seu papel. É um circuito vibrante, cheio de manhas, com possibilidades e armadilhas para ninguém botar defeito. Para aqueles que não moram em São Paulo e/ou não conhecem Interlagos, se surpreenderam com suas viradas de clima, chuva numa parte do circuito enquanto estava seco do outro lado, inviabilizando estratégias e previsões.
Uma prova que tinha mudanças a cada volta, com todos fazendo contas de cada ponto, olhando para o céu esperando que parasse a chuva, depois rezando para São Pedro mandar a chuva de novo, torcendo pelo alemão Vettel e, por fim, odiando o alemão Glock, que fez uma aposta em pneus para pista seca, mas que o deixaram na mão nas últimas curvas e nas ultimas gotas daquela quase-noite em Interlagos.
Por mais que se soubesse que o campeonato estava praticamente definido para o título do inglês Lewis Hamilton, Felipe Massa se comportou, correu e fez a torcida vibrar como se ele fosse o favorito ao título e fez brasileiros (e muitos gringos) torcerem como nunca numa corrida. Foi um guerreiro na vitória e um leão na derrota, com suas declarações e posturas, não deixando gosto amargo na boca dos seus fãs e torcedores mundo afora.
Temos que ser humildes em admitir que o inglês mereceu o título. Apesar da pouca idade e de somente dois anos de F1, Hamilton sempre foi um piloto agressivo e rápido, não deixando dúvidas quanto à sua competência, ganhando e acumulando pontos de forma constante. Não tinha um Alonso pressionando e pode contar com toda a McLaren do seu lado, não economizando esforços para blindar seu piloto nas provas finais.
O título mundial de Hamilton se coloca como um final feliz em um conto de fadas, premiando uma carreira iniciada com muito sacrifício e sofrimento pessoal e familiar, coroando uma jornada brilhante por todas as categorias que passou, faz dele o piloto mais jovem a conquistar um título da categoria e, em tempos de Barack Obama, o primeiro negro a conquistar um título mundial em qualquer categoria do automobilismo.Acredito que, apesar do título do Hamilton, a corrida de ontem serviu para reacender, de uma vez por todas, a F1 dentro do coração de todos os brasileiros. Muitos e muitos, que não se sentavam para ver uma corrida desde a morte de Senna, ontem vibraram, torceram e choraram com Massa que, com os olhos cheios d’água, bateu orgulhoso no peito pela vitória, que ganhou e perdeu o título em questão de segundos e, o mais importante, deixou em todos a certeza de que voltaremos a torcer com a F1 nos domingos de manhã. Viva Felipe Massa!

Nova Era

A temporada de 2008 da F1 acaba deixando saudades. Desde a entrada de Hamilton (e a saída de Schumacher) temos disputas emocionantes, com vários pilotos vencedores, com equipes e pilotos subindo e caindo de rendimento ao longo do ano ao contrário dos anos sonolentos e desinteressantes da era Schumacher, onde toda a torcida era para que seu carro, pelo menos uma vez, quebrasse e desse chance para mais alguém ganhar alguma prova. Numa temporada onde mais da metade do grid pode ser cogitado para ganhar a prova, o interesse do público aumenta consideravelmente, concordam?

Ultimas notícias

A Rádio Paddock informa: após um papo ao pé d’ouvido entre Nelsão e Briatore, Nelsinho Piquet renova com a Renault para a próxima temporada. Lucas DiGrassi foi liberado pela Renault para testar nas próximas semanas, junto com Bruno Senna, na Honda. Na STR, brigam por vagas: Senna, DiGrassi, Pantano, Buemi, Liuzzi e, correndo por fora, Barrichello. Rubinho está no fio da navalha. Só fica na Honda se os testes com os novatos forem MUITO desastrosos e só vai para a STR se levar dinheiro. Caso contrário, fez sua última corrida no domingo passado.

Em 2009, muda tudo.Se você gostou de algum carro que você viu em Interlagos, corra para comprar uma réplica em miniatura, pois eles vão deixar de existir. Pro ano que vem, o carro muda muito por conta do regulamento. Saem todos os apêndices aerodinâmicos, fica um carro mais liso, mais truncado, voltam os pneus slicks, teremos alterações estruturais na mecânica e a entrada do KERS. Atualmente, equipes que andam mal como a Honda, podem despontar com muito mais força pro ano que vem. BMW, Red Bull e Williams foram algumas que abandonaram o desenvolvimento em temporada do carro de 2008 para focar no novo carro de 2009 e tentarem voltar a ser competitivas. 2009 promete!