segunda-feira, 24 de novembro de 2008

PLANEJAMENTO + SORTE = COMPETÊNCIA

O campeonato mais equilibrado na “Era” dos pontos corridos está perto do final. O torneio que teve na liderança o Flamengo, Cruzeiro, Palmeiras, Grêmio, provavelmente verá o último, o São Paulo como sendo o campeão. Vamos aos jogos.

No sábado, a Portuguesa cansou de perder gols contra o Goiás. O empate sem gols foi muito ruim, e a Lusa deve carimbar a volta para Série B, em 2009. O Atlético Paranaense conseguiu um bom empate contra o Botafogo, no Engenhão. O Furacão que não perde a sete rodadas deve se salvar com apenas mais um ponto em seis que disputará. No Couto Pereira, a noite foi de Keirrison, ou simplesmente K9. Autor de quatro gols na goleada de 5x1 do Coritiba contra o Santos, o Coxa está de parabéns pela campanha no nacional.

Nas partidas de domingo não faltou emoção. No Mineirão lotado, o Cruzeiro de forma merecida derrotou o Flamengo por 3x2 em uma das melhores partidas do ano. O destaque negativo foi à arbitragem de Carlos Eugênio Simon e seu auxiliar de sobrenome “Bandeira” que prejudicaram o rubro-negro ao marcar um impedimento inexistente e por temer ao não marcar pênalti claro em Tardelli no final da partida.

No Barradão, o Vitória, após sete partidas voltou a vencer no torneio. E com categoria. Desbancou o Grêmio de virada por 4x2 para delírio do ex treinador gremista Vágner Mancini. O sonho de jogar a Sul-Americana em 2009 se reacendeu. Para o tricolor, o consolo é ficar com uma das vagas na Libertadores.

Em partida isolada, o Sport precisou de apenas sete minutos para golear o Atlético MG por 3x0. A derrota do Galo pode custar a vaga na Sul-Americana. Quem ainda sonha com essa vaga é o valente Fluminense. O tricolor carioca venceu mais uma. Dessa vez, o time reserva do Internacional por 2x0. O Colorado na próxima quarta-feira começa a busca do inédito título da Sul-Americana.

Após duas derrotas para adversários diretos, o Palmeiras mesmo sem uma grande atuação derrotou o praticamente rebaixado Ipatinga por 2x0. Tudo indica que o Verdão apesar dos problemas vividos nas últimas semanas garantirá uma das vagas na Libertadores.

No grande duelo do domingo, Vasco e São Paulo fizeram uma partida de opostos. O Cruzmaltino precisava desesperadamente dos três pontos, mas pela frente tinha um time que sabe como ninguém jogar nas adversidades. Mesmo jogando melhor, perdendo gols atrás de gols, e com Rogério Ceni para variar salvando, o Vasco era desorganizado. Mas qual o segredo do tricolor? Longe de ter um super elenco, de ser imbatível, e de contar apenas com a sorte, o São Paulo tem pelo menos duas coisas que faltam aos adversários – planejamento e frieza.
Com a vitória de 2x1 sobre um valente e nervoso Vasco que somente se salva agora com um milagre, dificilmente o time muito bem dirigido por Muricy Ramalho perderá o seu inédito Tri-Campeonato seguido, o inédito Hexa nacional, e de quebra será o primeiro clube brasileiro a conquistar três nacionais seguidos. Sabemos que o futebol é capaz de surpresas inesperadas, que o justo nem sempre é o certo, mas cá entre nós, o título longe do Morumbi, na altura da competição não seria justo.