sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

ATRÁS DA HEGEMONIA SUL-AMERICANA- Por Rodrigo Curty

A Copa Libertadores começou com tudo. O torneio considerado mais importante da América do Sul não começou bem para dois times brasileiros. Mas calma torcedor, pois estamos apenas no começo.

O Palmeiras que estava invicto no ano, perdeu para a LDU, em Quito. O resultado de 3x2 foi mais do que normal. Jogar na altitude com o atual campeão não é nada fácil. O que não pode é o torcedor palmeirense se desesperar. A equipe está bem montada e deve, na pior das hipóteses passar em segundo do grupo.

Na quarta-feira, o São Paulo vacilou em casa. O resultado poderia ter sido pior, se não fosse o golaço de Borges nos acréscimos. O Independiente de Medellín jogou como se joga a Libertadores. Retrancado, catimbando e se aproveitando dos contra-ataques. O tricolor perdeu muitas chances e apesar de ter sido o primeiro duelo, já se preocupa com os dois pontos perdidos em casa, e que agora com certeza deverão ser recuperados fora de seus domínios.

Quem surpreendeu muitos brasileiros foi o Sport Recife. O atual campeão da Copa do Brasil derrotou o ColoColo, no Chile por 2x1. belo início se considerarmos que dificilmente, a equipe pernambucana perderá pontos em seu alçapão. É aguardar para ver.

Por fim, no Mineirão, o Cruzeiro estreou muito bem contra o Estudiantes de La Plata. Após um primeiro tempo ruim, a segunda etapa reservou o melhor para os 15’ finais. Tudo porque a Raposa promoveu a estréia bombástica de Kleber, ex Palmeiras. O belo atacante mostrou suas qualidades e a mesma cabeça quente. Ele precisou apenas desse tempo para marcar dois gols e ser expulso infantilmente, após falta em Verón. Mas cá entre nós, considero uma palhaçada a punição para os jogadores que levantam a camisa na hora da comemoração. Se não mostram mensagens, qual o problema de extravasar no momento mais glorioso que é o gol? Mas Kléber, cuidado com a cabeça para não voltar a ser perseguido pelas arbitragens.

O último representante brasileiro é o Grêmio. O tricolor gaúcho que têm na teoria a chave mais fácil de todos, inicia a busca pelo Tri contra o Universidad do Chile, dia 25/02, no Olímpico. Tomara que a quarta-feira de cinzas passe longe. Apesar da “tal” facilidade, é bom os tricolores ficarem esperto, pois nesse torneio diferenciado nem sempre vence o melhor, basta lembrar, por exemplo, do ano passado.

Mas vamos ficar na torcida para que o final dessa década o Brasil volte a dominar a Libertadores e que entre com tudo na próxima, para assim retomarmos a hegemonia no continente.

Curiosidade: Nas décadas de 80 e 90, foram 17 edições disputadas, e o Brasil chegou em 14 finais, levando oito canecos. Dois com o São Paulo e Grêmio e uma com Flamengo, Palmeiras, Vasco e Cruzeiro. Já na década atual foram apenas dois títulos em sete finais. Um com o São Paulo e outro com o Internacional. Perdemos com Palmeiras, São Caetano, Santos, Grêmio e Fluminense.

Força Brasil e sorte aos participantes!!