quinta-feira, 25 de junho de 2009

RAPOSA BEM ENCAMINHADA - Por Rodrigo Curty

A primeira partida entre Cruzeiro e Grêmio pelas semifinais da Taça Libertadores da América foi excepcional. O Mineirão estava lotado, a torcida mineira promoveu um grande espetáculo e a do Grêmio para variar também esteve presente e apoiou até o final. Também pudera, as duas equipes buscam o inédito tri-campeonato.

No primeiro duelo, ficou claro que o Brasil está mesmo bem representado na reta final do torneio. Sem sombra de dúvida são as duas melhores equipes das quatro que sonham em jogar contra o Barcelona, campeão da Champions League, no final do ano.

Em relação ao jogo que foi repleto de alternativas, e que contou com jogadores a flor da pele, teve o tricolor gaúcho pecando em três oportunidades com Alex Mineiro e Maxi López, uma delas a bola caprichosamente beijou a trave. Já a Raposa, por sua vez, desperdiçou duas ótimas chances com o lateral Jonathan antes de finalmente enlouquecer seus torcedores com a cabeçada mortal de Wellington Paulista, após um belo cruzamento de Kléber. Mesmo em desvantagem, o time comandado por Paulo Autuori quase empatou com Souza, mas Fábio comprovou a boa fase que vive e espalmou de mão trocada.

Na segunda etapa, antes mesmo do Grêmio esquentar, o meia Wagner de perna esquerda contou com um desvio em Tcheco para ampliar. Daí para frente o jogo ficou nervoso, pegado, como é característico da Libertadores e com muitas chances para ambas as equipes. Melhor para o time mais técnico. Se aproveitando de conta-ataques, veio o terceiro gol, o primeiro do experiente volante Fabinho com a camisa celeste. Mas o Grêmio fez por onde e em uma cobrança de falta magistral de Souza, o gol de honra. Gol que pode ter válido muito, pois agora com o resultado de 2x0 dá Grêmio na final. Alguém dúvida da força gaúcha no Olímpico? Eu não, porém é bom deixar claro que o time mineiro nessa Libertadores jogou melhor fora de casa, e por isso é a minha aposta mesmo com o estádio fervendo.

Vamos aguardar a segunda parte do confronto entre Paulo Autuori, campeão pelo Cruzeiro, em 1997 e Adilson Batista, o capitão América do Grêmio, em 1995 que promete ser mais uma vez memorável.
A torcida é para quem passar derrote na final Estudiantes ou Nacional que começam a medir forças hoje na Argentina. Até mais!!