quarta-feira, 14 de outubro de 2009

UMA VAGA PARA OS BICAMPEÕES - Por Rodrigo Curty

Hoje, o mundo saberá quase por completo quais são os países que em 2010 lutarão pelo título da Copa do Mundo, na África do Sul.

As eliminatórias estão equilibradas nos quatro cantos do planeta. Seja na África, Europa, e nas Américas Central, Norte e Sul, a emoção, o nervosismo, a ansiedade e para muitos a frustração estarão a flor da pele.

Quando digo quase por completo, é que na Europa saberemos apenas mais tarde os confrontos das repescagens, ou melhor, as equipes que se classificarão entre as melhores segundas colocadas. Entre elas estão França, Suécia e Portugal. Muita coisa vai rolar.

Mas o destaque agora é para o futebol sul-americano. Nada como um dia após o outro. A Seleção Brasileira sempre contestada, desde as Olimpíadas, quando perdemos mais uma vez para variar e criticamos e muito o técnico Dunga. Eu me coloco entre as pessoas que não acreditavam em sua permanência. Hoje não apenas eu, mas muitos tiveram que se desculpar com o treinador.

Bom para o futebol que mostra que às vezes a liderança e também um pouco de conhecimento de quem foi um guerreiro dentro de campo, aliado com um auxiliar que mostrou serviço no modesto América do Rio podem fazer as coisas melhorarem. Este que falo é Jorge de Amorim Campos, o Jorginho. A comissão técnica em si também é calejada de bons e outros ótimos profissionais, entre eles Paulo Paixão, José Luis Runco, enfim, pessoas que parecem ter os pés no chão para não deslumbrar o país que sempre cobra o primeiro lugar.

Mas falando dos nossos rivais. Hoje, a noite marca um duelo fantástico no estádio Centenário, em Montevidéu. Duas seleções Bicampeãs mundiais lutando pela quarta e última vaga do continente. Seleções que se enfrentaram na final da primeira Copa, a de 30, quando deu Celeste e depois a relação dos dois paises se estremeceria. Mas vamos ao presente. Quem passa hoje? Uruguai ou Argentina. Ambas vacilaram em momentos chaves nas eliminatórias. A Celeste perdeu, por exemplo, para o Peru, em casa. Se vencesse hoje entraria mais tranqüila, mas o “Se” não existe no futebol. Já os Hermanos perderam pontos importantes em casa e definitivamente foram mal comandados pelo Deus de lá, Diego Maradona.

Como apaixonado pelo futebol torço para que ambas se classifiquem, uma delas na repescagem. A Copa do Mundo precisa e agradeceria pela participação de seleções tradicionais. Senão que Copa seria essa? Tudo bem que ambas já ficaram de fora em outras oportunidades, às vezes por questões políticas, outras por competência.

Vamos às histórias. A Argentina não participou das Copas de 38, na Itália, na de 50, no Brasil, esta porque a AFA com suporte do governo argentino presidida por Juan Carlos Perón desejam sediar a copa de 50 e nas de 54 e em 1970, esta, após ser derrotada pelo Peru, na época dirigida pelo brasileiro Didi. Daí para frente, os hermanos participaram de todas as copas.

Já o Uruguai não disputou as Copas de 34,38 e não se classificou nas de 58,78,82,94,98 e 2006. A torcida espera que desta vez a história seja diferente. Que o Uruguai faça a sua parte, vença e não dependa de ninguém. Para os argentinos resta também vencer para seguir adiante. Caso empatem, daí é torcer contra o Equador que pega o Chile, em Santiago precisando vencer desesperadamente. Faça a sua aposta.