segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

UM FLA X FLU MEMORÁVEL - Por Rodrigo Curty

A rodada do final de semana foi marcado por três grandes clássicos do futebol Brasileiro.
Em São Paulo, o Corinthians derrotou seu maior rival, o Palmeiras, depois de um jejum de três anos e três meses. O placar foi magro, 1x0, que veio graças a bela atuação de Felipe e da deficiência alviverde.

Em Erechim, o clássico Gre-Nal foi também eletrizante. Melhor para o Colorado que de tanto insistir achou sem gol comAlecssandro nos minutos finais. Vitória mais do que merecida.

Já no Maracanã, uma partida eletrizante, talvez a melhor do ano, e quem sabe uma das melhores que veremos no ano. O palco estava lotado. Mais de 50 mil pessoas dividiram o Maior do Mundo com as cores rubro-negras e tricolores. A expectativa era ver a dupla Conca e Fred, contra o trio formado por Pet, Adriano e Love, estes chamados carinhosamente como o "império do amor".

Após um primeiro tempo apático do Flamengo, o Fluminense abriu uma vantagem tranquila. 3x1. E olha que poderia ter sido mais se não fosse a pontaria dos atacantes tricolores. Vale ressaltar que Fred ficou de fora na última hora, e aparentemente não fazia falta.

Veio a segunda etapa e a transformação. O rubro-negro era completamente outro. Andrade mexeu e bem na equipe. Colocou o exepcional marcador Willians no lugar de Fernando e Vinicius Pacheco no de Petkovic, que inclusive saiu do estádio e foi afastado pela diretoria.

Nada que tenha influenciado em campo, pois o time ganhou mais velocidade e marcação, assim em menos de 10' chegou ao empate com gols de Vagner Love e Kleberson, justamente com participações de ambos os reservas. Daí o Maraca foi abaixo, a raça contagiava os torcedores. Era Adriano e Vagner Love correndo atrás do jogo, e todos jogando a vida. Já o Flu sentiu a falta de maturidade e mesmo com um jogador a mais, Álvaro foi expulso aos 17', a equipe não se acertou em campo.

Veio o castigo. Depois de bela troca de passe entre Toró, Love e Pacheco, Adriano empurrou para as redes de Rafael. Era uma loucura só. Parecia que o Mengão se multiplicava em campo, perdia chances, mas no fim com um belo passe de Willians, o "Imperador", mas uma vez deixou sua marca. Final 5x3 que acredito não será esquecido tão cedo da história deste clássico que tinha nas crônicas de Nelson Rodrigues um tempero especial.

A torcida é para que os clássicos sejam sempre assim, disputados no campo e com belas jogadas e gols.

Até a próxima!!