quinta-feira, 29 de abril de 2010

O PESO DO MARACANÃ - Por Rodrigo Curty

E a bola rolou pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América.
Rapidamente falo de São Paulo e Internacional. O primeiro jogou no Peru e mais uma vez decepcionou os torcedores. A equipe do Universitário é fraquissíma, e o tricolor em determinado momento da partida esqueceu de jogar, e preferiu trazer o empate sem gols, que não deixou de ser um bom resultado, pois acredito que mesmo jogando esta "bolinha", no Morumbi é no mínimo quatro gols de vantagem.
O Colorado respeitou demais o Banfield que tinha apenas o seu estádio como ponto de equilibrio no duelo. Jorge Fossati entrou com uma formação, ao meu entender errada. o resultado de 3x1 é difícil mais não impossível de reverter, porém, a final de domingo contra o Grêmio pode abalar e trazer graves consequências antes do previsto pelos lados da gigante Beira-Rio.
Já no grande clássico envolvendo os brasileiros Flamengo e Corinthians, o que se viu foi um Maracanã tomado pela chuva. Uma pena, pois as duas equipes mereciam um tapete verde em melhor condição. De qualquer maneira o duelo entre as duas maiores torcidas do país, e porque não do Mundo fizeram o possível pra apresentar um futebol digno de Libertadores.
A bola parava nas poças, e os jogadores eram driblados pela água. Equilibrio a parte e sem perigo de gol para nenhum lado na primeira etapa, o meia Maicon abusou e foi expulso de forma infantil aos 36', afinal dar carrinho no seco já é terrível, na chuva nem se fala. Pior para o Timão, que mesmo com um jogador a mais não soube furar a barreira rubro-negra que se multiplicou em campo.
Na segunda etapa, o primeiro lance de perigo é dos alvinegros com Moacir, defesa de Bruno. A partir daí só deu Flamengo. Com um toque de bola mais objetivo e com a obrigação de vitória por jogar em casa, após bela troca de passes, Juan que já havia acertado o travessão foi derrubado por Moacir. Penâlti bem convertido por Adriano que fazia as pazes com o torcedor.
Do outro lado, Ronaldo definitivamente não conseguia se movimentar. A partida seguia e nada de oportunidades para o Timão, e o rubro-negro desperdiçando com Adriano que obrigou Julio Cesar a uma grande defesa com direito a mais uma bola no travessão, Vinicius Pacheco chutando perto da trave, e no fim o placar de 1x0 que dá uma boa vantagem a equipe carioca.
No primeiro duelo, o Maracanã pesou, mas no Pacaembú, sem dúvida a chapa vai ferver, pois será tudo ou nada para o Corinthians no ano de seu Centenário e o momento de ressucitação do Mengão. Vamos aguardar pra ver quem terá um melhor controle emocional e representar o Brasil nas quartas de final.

Até a próxima!!