quarta-feira, 19 de maio de 2010

JOGOS PARA HISTÓRIA - Por Rodrigo Curty

E hoje a bola vai rolar mais uma vez na Copa do Brasil e na Copa Libertadores.
Comentarei, porém apenas os dois grandes clássicos brasileiros entre Santos e Grêmio e São Paulo e Cruzeiro.
Na Vila Belmiro, o Santos tem uma missão relativamente tranquila se considerarmos o poder ofensivo da equipe que nunca passa em branco. O torcedor do Peixe não vê a hora dos meninos da Vila entrarem em campo. A expectativa gira em torno das últimas apresentações onde o time leva muitos gols e não sai vitorioso.

Para interromper este jejum negativo e carimbar vaga na decisão, os comandados de Dorival Jr precisam de uma simples vitória de 1x0, 2x1 ou 3x2. E para você, quem entra para história? Os "imortais" tricolores, mesmo com a zaga reserva ou o time sensação que tem no ataque o trio formado por Robinho, Neymar e André?
Já no Morumbi, o Cruzeiro terá uma grande batalha contra o São Paulo. A Raposa sabe que o nome do jogo hoje é paciência, pois precisa de dois gols de vantagem para avançar a semifinal. A dupla de ataque formada por Thiago Ribeiro e Kleber já marcou 15 gols, mas nenhum no Mineirão.

E diga-se de passagem, fazer gol no São Paulo não é uma missão tão simples assim, pelo menos na Libertadores. Até agora foram nove jogos e apenas dois gols tomados. Ricardo Gomes ainda terá o retorno de Miranda nesta noite. Muitos falam de crise no tricolor, uma vez que Washington abriu a boca. Foi perdoado, mas para o histórico confronto não foi nem relacionado para o banco.
A pressão desta forma mais uma vez ficará a cargo de Fernandão que estreou muito bem, mas cada jogo é um jogo. E este o são-paulino espera finalmente comemorar a classificação, pois desde 2006 quando caiu em mata-mata com time brasileiro deu adeus ao torneio. Para isso, penso que deva também atacar e não apenas esperar.
Neste duelo você aposta no 3-5-2 do São Paulo ou na paciência e competência da Celeste?
A minha aposta é que nas duas partidas choverá muitos gols, e vencerá o melhor, apesar de que no futebol a justiça não predomina e sim a competência. Até a próxima!!