quarta-feira, 16 de junho de 2010

O BRASIL QUE NÃO QUEREMOS VER – Por Rodrigo Curty

A Copa do Mundo segue longe do que poderia ser em relação à emoção, bons jogos, craques e organização. Mas o foco é falar das favoritas que devem espetáculos.

Umas destas Seleções é a do Brasil. Depois de muito segredo, três anos e oito meses de trabalho, os comandados de Dunga entraram em campo contra a Coréia do Norte.

A decepção ficou por conta do futebol apresentado. O nosso “craque” Kaká deixou claro que lhe falta um melhor preparo físico e que sozinho no meio de campo, as coisas poderão se complicar quando a partida pedir uma reação. Falta a Seleção variações táticas e opções de jogadores que podem assumir a função de solução. Ficou nítida também a falta de coragem e a sensação de que é melhor ficar sem levar gol e ver o que acontece quando a oportunidade surgir do que se arriscar.

O Brasil não é pentacampeão a toa. As outras Seleções nos respeitam pela história e não pelo futebol. Será que não está na hora de deixarmos a questão burocrática de lado e fazer um futebol com pressão, vontade de ganhar e brilhantismo? Ou você é daqueles torcedores que prefere no final gritar “é campeão” a ver o time ser eliminado jogando o fino da bola?

A torcida é para que nas duas próximas partidas a equipe passe a confiança que a maioria desconfia e torce contra. Coerência é necessário, mas alternância tática e inclusão de jogadores que estejam em melhor forma também. Será que não dá para começar com Ramires, Julio Batista ou Daniel Alves desde o começo, ao invés de entrarem quando as coisas apertarem? É aguardar para ver.

Vamos Brasil, mostrar para todos o verdadeiro futebol brasileiro.

Até a próxima!!