terça-feira, 22 de junho de 2010

SUPREMACIA SULAMERICANA - Por Rodrigo Curty

E a metade da Copa do Mundo na África do Sul já passou. Agora a tendência é que o torneio fique cada vez mais eletrizante e com Seleções tradicionais e zebras no caminho.

Hoje a definição dos Grupos A e B mostraram isso. De um lado, a anfitriã África do Sul, da famosa Bafana Bafana venceu a tradicional mais desgovernada França por 2x1. Resultado insuficiente, pois o saldo de gols fez toda a diferença. A equipe de Parreira precisa de quatro gols de vantagem, uma vez que o Uruguai derrotava o México por 1x0, resultado este que se manteve até o final. Desta forma passaram a Celeste em primeiro e os mexicanos em segundo, e os Bleus também eliminados.

Na chave B, a Argentina mesmo com alguns reservas mostrou o bom futebol das partidas anteriores. Venceu a dura e fraca Grécia por 2x0, gols de Demichelis e Palermo. Mas se não fosse TZorvas, a muralha grega, o placar seria pelo menos 4x0. Já a africana Seleção da Nigéria começou mais uma vez na frente, permitiu a virada da Coréia do Sul, e deu adeus a competição. A Jabulani definitivamente não ajudava os atacantes nigerianos.

Agora nas oitavas o Uruguai encara a Coréia do Sul, e o México medirá forças contra a badalada Argentina. Faça a sua aposta.

Eu, sinceramente vejo os sul-americanos em vantagem, mas cada jogo é um jogo. Esta Copa mostra isso. Amanhã, por exemplo, na definição dos Grupos C e D, poderemos ter mais duas tradicionais Seleções de fora. Inglaterra que encara a Eslovênia, líder do Grupo C, e a Alemanha, no D, contra Gana, a única africana que pode avançar na competição.

A África do Sul está com cara de Copa América, por isso Brasil, Paraguai e Chile também devem honrar o continente no restante da Copa. É aguardar para ver.