segunda-feira, 5 de julho de 2010

TRADIÇÃO E AFIRMAÇÃO - Por Rodrigo Curty

E a partir de amanhã a Jabulani rola para a primeira partida das semifinais da Copa do Mundo na África do Sul. A tricampeã Alemanha e o bicampeão Uruguai esperam manter a tradição das Copas. Já Holanda e Espanha buscam a afirmação e o primeiro título no torneio.

No duelo que decidirá o primeiro finalista, a Holanda, algoz da equipe brasileira medirá forças contra o tradicional e surpreendente Uruguai. A laranja espera conseguir chegar pela terceira vez a uma decisão de Copa do Mundo. Chegou em 1974 e 1978 e perdeu ambas.

Para realizar o sonho e levantar a taça pela primeira vez, a equipe do técnico Bert van Marwijk aposta em mais uma grande atuação do meia Wesley Sneijder e de Arjen Robben. Mas também em jogadores como Kuyt, Van Bommel, Van Persie, Van der Sar, e claro o goleiro Stekelenburg que fazem a diferença na campanha.

Campanha esta surpreendente. Entre 10 de setembro de 2008 e ao menos até amanhã, a Holanda soma uma incrível sequência invicta: são 24 jogos, com 19 vitórias, cinco empates, 49 gols pró e 13 sofridos em jogos das Eliminatórias europeias, amistosos e na campanha 100% na África do Sul.

Em relação ao Uruguai, além da vontade de continuar a busca do tricampeonato, muitos problemas para o técnico Oscar Tabarez. A Celeste não terá provavelmente em campo o líder e capitão Diego Lugano com problema no joelho, assim como Lordeiro que tem uma fissura no pé. Outra ausencia sentida será do atacante Luiz Soarez, expulso contra Gana, e do zagueiro Fucile suspenso com dois cartões.

Apesar de enfraquecida, é bom respeitar o único representante da América do Sul.

Já na outra semifinal Espanha e Alemanha possuem histórias bem diferentes.

A tricampeã vem cheia de confiança após eliminar potencias como Inglaterra e Argentina, e ambas com goleada. Mais é importante ressaltar a humildade pregada nas preleções do técnico Joaquim Low. Ele sabe que é preciso respeitar, porém valoriza demais o potencial da Seleção germânica para chegar a mais uma final de mundial.

A Alemanha mostra nesta Copa que a renovação pode ser a saída para evolução do futebol. Com velocidade e equilíbrio, jogadores como Ozil e Muller colocam a equipe como a grande sensação da Copa. Isso sem falar de Podolsky e Schuenisteiger que jogam a vontade.

A adversária Espanha, por sua vez já faz história. Pela primeira vez a Fúria se encontra entre as quatro melhores Seleções do Mundo. É bem verdade que em 1950, a Seleção terminou na quarta colocação, mas a fórmula de disputa era diferente, pois não tinha semifinais e final.

A Espanha não pensa em outra coisa que não levantar a taça pela primeira vez. De quebra pode ter o artilheiro da Copa também de forma inédita. A principal aposta é David Villa. Com cinco gols, o atacante é o artilheiro da competição e o maior artilheiro da seleção de seu país em Copas do Mundo. São oito bolas na rede, somando suas participações em 2006 e 2010. Butragueño, Hierro, Morientes e Raúl vêm logo em seguida, com cinco cada.

Faça a sua aposta. O jogão será na próxima quarta-feira, dia 7 de julho, em Durban.

Até a próxima!!