sexta-feira, 1 de outubro de 2010

CAMPEÃO E REI DESMORONADO - Por Rodrigo Curty

O Campeonato Brasileiro 2010, da Série A, segue cheio de surpresas, decepções, alegrias e um velho problema. Trata-se da questão cultural.

O Brasil busca se espelhar em vários aspectos do futebol europeu, mas no que se refere a respeito, planejamento e cultura, podem apostar, ainda estamos bem longe de sermos equiparados.

Hoje o assunto que comento é a crise no atual campeão brasileiro, o Flamengo. O hexa campeão está em ruínas, e pior sem o seu maior rei no comando. Hoje de madrugada, o maior ídolo do clube, e até daqueles que torcem contra o rubro-negro pediu sua demissão. O grande Zico deixa o cargo de diretor executivo do clube de coração, após quatro meses de trabalho.

O período foi conturbado e longe da expectativa do apaixonado torcedor flamenguista. Muitas críticas, especulações de envolvimento em transações, parcerias do Flamengo com o CFZ, nome de filho envolvido, e acima de tudo no meu entendimento pessoas sem perfil e sem capacidade culminaram em sua decisão. O Rei estava chateado, pressionado e desgostoso. Mas quem perde mais? A Nação apoia Zico, mas poderia ser diferente pelo seu carácter e serviços prestados com tanta dedicação, honra e amor?
Zico é daqueles que, além de ter sido um dos maiores craques que o mundo já viu também sofreu pressões. Foi técnico do Panathinaikos, da Grécia, CSKA, da Rússia, coordenador técnico da Seleção Brasileira em 1998, técnico da Seleção Japonesa em 2002, entre outros, e por isso sabe e respeita a classe de treinadores. Ele, apenas ele, bancou Silas, após a infelicidade do treinador em culpar seus comandados pelos péssimos resultados até aqui. Ora, longe de defender Silas, mas no futebol sempre vai ser assim. O time joga pelo comandante, e este valoriza aqueles que merecem. O Flamengo precisa aprender que certas coisas devem ser resolvidas internamente, e não com imprensa e nação envolvidas. E outra, colocar técnico com missão de "ganhe o clássico" e permaneça é uma das maioress hipocrisias do futebol.
Eu penso que Silas, mesmo sem maturidade para assumir grandes clubes, afinal também pisou na bola no Grêmio deveria sim ser mantido, e agora os jogadores tem a obrigação de se juntarem e jogar pelo Flamengo, afinal é mais fácil na nossa cultura tirar treinador e manter os "chinelinhos". Certo ou errado, talvez o melhor caminho seja seguir com ele nas próximas doze rodadas e terminar o torneio na Elite do futebol. Daí, em 2011 sim, se for o caso mudar tudo, começar do zero, mas com planejamento e os pés no chão, algo que sinceramente não deveria ser com Vanderlei Luxemburgo.
Hoje a pressão na Gavéa é enorme, mas sem tranquilidade, maturidade, respeito e amor pelo clube de maior torcida do país, a tendência é que o campeão desmorone em Dezembro.


Até a próxima!!