quinta-feira, 16 de junho de 2011

A ESPERA DE GANSO - Por Rodrigo Curty

E a primeira parte da decisão da Copa Libertadores entre Peñarol e Santos acabou. A primeira partida no estádio Centenário foi nervosa, sem gols e com alguns detalhes que não podem ser desconsiderados na partida de volta. E detalhe positivo ontem foi a arbitragem de Carlos Amarilla, que por mais que tenha ofuscado o 11 santista não deixou de ser correto.

O Peixe foi valente. Suportou a pressão da torcida adversária, mas teve acima de tudo sorte para não sair derrotado. Na primeira etapa Neymar foi mal. Ansioso e buscando as faltas, a velha fama de cai-cai voltou à tona. Eu não concordo que ele tenha regredido, mas que o excelente jogador poderia ter jogado sua bola, isso poderia. E por falar em bola, a saída do time brasileiro também precisa melhorar na partida de volta já que esteve muito lenta. A linha boba foi outro problema apresentado ontem, e que poderia ter custado uma derrota difícil de ser revertida.

No Brasil é importante os comandados de Muricy Ramalho pensarem em jogar bola e não apenas com o adversário. O time é muito melhor tecnicamente. Mas na Libertadores isso é irrelevante, vide o que aconteceu com o Internacional que foi eliminado em casa pelo time uruguaio.

Elano, Arouca e Neymar têm tudo para arrebentar em casa. O time estará mais forte e confiante, afinal terá a volta de jogadores importantes como Edu Dracena na zaga, uma vez que tem um entrosamento perfeito com Durval, que diga-se de passagem vem jogando muito. Léo deve voltar a lateral esquerda, apesar do bom futebol de Alex Sandro, que é mais ofensivo. Eu apostaria na experiência. Outro ponto importante para se chegar ao Tri é o retorno mais do que esperado do meia Paulo Henrique Ganso. A qualidade melhora muito.

Do outro lado os uruguaios, por sua vez, devem apostar em uma única estratégia. A jogada de bolas aéreas e os erros dos santistas na saída de bola. Isso será fundamental para triunfar no Pacaembu. O time de Diego Aguirre é bem armado taticamente e joga muito bem fora de casa. Mas a falta de categoria na hora do toque final é evidente e pode ser o ponto chave para a conquista do Santos.

Boa sorte Peixe!