quarta-feira, 22 de junho de 2011

TRADIÇÃO X SITUAÇÃO - Por Rodrigo Curty

E hoje não terá mais jeito. Nesta noite saberemos quem será o campeão da Copa Libertadores de 2011. Santos e Peñarol disputam a cobiçada taça a partir das 21h50, no tradicional estadio Paulista, o Pacaembu.

E por falar em tradição, o da equipe uruguaia pesa mais no que se refere este torneio. Foram cinco conquistas ao longo de sua historia. O Santos, por sua vez, busca o seu terceiro triunfo. Muita coisa estará em jogo nesta noite. A confirmação de que Muricy Ramalho pode sim ser campeão da América, independente de não ser contra um clube brasileiro, famosos por serem algozes do campioníssimo treinador. De quebra, o comandante santista também pode quebrar a fama de ser considerado pé frio em mata-mata.

Para chegar ao cobiçado título os meninos da Vila contam com a experiência de Muricy e na força do grupo que cresceu durante a competição. Hoje é dia da zaga que ganhou mais confiança colocar o nome de Rafael, como sendo o goleiro mais jovem a levantar a taça. Dia do meio-campo formado por Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso, recuperado e menos de 100% mostrarem força e obediência tática. Dia do ataque formado pelo ainda contestado, mesmo que de forma injusta Neymar, que para muitos some na hora "H" e Zé Love estufarem as redes. Dia do torcedor mais jovem do Peixe sentir o que é ser santista mundo afora.

A tarefa, porém não deve ser fácil se considerarmos o histórico de conquistas da equipe aurinegra. As cinco taças foram conquistadas fora de seus domínios. Entre elas, a segunda no mesmo Pacaembu, na ocasião contra o Palmeiras em 61 e a última, em 87, quando o atual comandante Diego Aguirre marcou nos acréscimos o gol do título contra o Deportivo Cali. Neste ano, o azarão também passou de fase sempre decidindo fora. Olho em Martinuccio, Mier e Olivera.

Faça a sua aposta. A minha é pela vitória brasileira e pela retomada do Santos no cenário mundial. Seria um mérito para aqueles que honram as glórias santistas do passado com o trabalho de base no presente. Boa sorte Peixe.

Até a próxima!