segunda-feira, 4 de julho de 2011

OUSADIA APENAS NO VISUAL - Por Rodrigo Curty

E a Seleção Brasileira, assim como a Argentina, dececpcionou seus torcedores e os admiradores do bom futebol. Os 11 dias de treinamento de nada valeu, mas a confiança de que durante a competição o time dará conta do recado ainda resiste apesar da preocupação estar mais evidente com os cortes de cabelo. O ousado também dentro de campo Neymar lançou a moda e o plantel acatou e parece querer disputar quem fica mais estranho no torneio. É bom o time começar a jogar bola e ser menos objetivo no visual. A próxima chance será no dia 09 contra o Paraguai.

Em relação a estreia, Mano Menezes foi óbvio, mas também não pode levar sozinho a culpa pela apresentação aquém de uma Seleção que é considerada favorita a levar a Copa América. O adversário Venezuela foi dominado, porém sem grandes problemas pra se defender. O primeiro tempo, apesar do maior tempo de posse de bola, o quarteto formado por Ganso, Pato, Robinho e Neymar não funcionou no último detalhe. As tabelas eram facilmente combatidas, e a máxima do futebol que é o gol não poderia mesmo entrar em ação, afinal quem não chuta não marca. E sinceramente, a desculpa que no futebol não tem mais time bobo já não cola mais.

Daqui pra frente favoritos como Brasil e Argentina vão ter que mostrar mais futebol e técnica comprovada pra não fazer valer a quantidade de vaias que promete aumentar.

Em tempo, que Copa América é essa que não gosta de ter as redes estufadas? Em quatro partidas apenas três gols. Hoje será a vez do Uruguai mostrar a que veio contra o Peru.

Até a próxima!