domingo, 6 de novembro de 2011

DO CÉU AO INFERNO - Por Rodrigo Curty

A 33ª rodada começou ontem. São-paulinos e botafoguenses lamentaram os tropeços de suas equipes. Já os torcedores de Bahia e Figueira não param de comemorar. Cada um por um motivo especial.

O Glorioso carioca foi derrotado por 1x0 para o Figueirense. A cada rodada fica mais claro que falta emocional e equilíbrio aos comandados de Caio Jr. O time realmente parece não ter alcançado a maturidade pra ser campeão.

Do outro lado, a fase é bem diferente. O time catarinense está demais. Mostra força, potencial individual e come pelas beiradas. Olho neles.


E o São Paulo? O tricolor paulista segue sem vencer. Em Pituaçu, o algoz foi o Bahia, em uma partida épica. Antes de falar do São Paulo, vale o registro para o Bahia. O tricolor de Aço foi de uma garra impressionante e conseguiu uma virada surpreendente, após vaias para papai Joel Santana. As substituições questionadas pelo torcedor deram certo. Junior, Lulinha e Nikão mudaram o cenário do jogo que teve o placar final de 4x3, e que entrou pra história dos grandes duelos do futebol brasileiro.


Agora sim, e o São Paulo? A derrota de ontem marcou a nona partida sem vencer, de uma equipe que parece atravessar problemas emocionais, internos e de auto-estima. Concorda? Senão, como explicar um tropeço, após estar na frente com um placar de 3x1? É bem verdade que as substituições forçadas, e a falta de um jogador pra cadenciar a bola no meio de campo também contam. Mas, então por que não ter entrado Rivaldo para esta função?

Desde que retornou ao comando do tricolor, Emerson Leão cobra e desgasta demais os jogadores, por isso sejamos justos que a parte ofensiva melhorou, mas a falta de humildade do treinador pra consertar, o que acreditava ser o melhor para o time, não tem data para ocorrer, assim segue a sina sem triunfos. Três jogos pelo São Paulo, com duas derrotas, um empate, eliminação da Copa Sul-Americana e provavelmente a Copa do Brasil em 2012. O caminho do time do Morumbi para se chegar ao céu é ainda complicado.


Até a próxima!