segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O TEMPERO PARA AS MASSAS - Por Rodrigo Curty

E ontem, a cidade de Londrina foi o palco para o duelo dos clubes que possuem as maiores torcidas do país. Flamengo e Corinthians fizeram uma partida relativamente boa. O rubro-negro realizou a segunda partida pós-férias. Na primeira venceu por um magro 1xo, a equipe do Londrina. Já o Timão fez a sua estreia em 2012.

No duelo que teve duas equipes distintas em cada etapa o empate por 2x2 acabou sendo o mais justo. No 1º tempo que marcou o confronto dos considerados titulares, o Corinthians foi superior e mostrou mais qualidade que os comandados de Luxemburgo. Final 2x0. Já na etapa final, o Flamengo com sete jogadores da base em campo, mostrou disposição e igualou o placar.

O amistoso deixa algumas impressões sobre o que o torcedor pode esperar dos times nesta temporada. No Flamengo, pelo menos para mim, ficou claro a falta de disposição, alegria e o comprometimento de vários atletas, entre eles o de maior peso Ronaldinho Gaúcho. O ambiente está conturbado, por mais que tentem disfarçar. Talvez falte a direção rubro-negra colocar os pés no chão e entender que mais vale neste momento fechar um patrocinador que pague, do que aguardar pelo que não vem, e assim seguir se endividando.

Falta coragem pra dizer ao apaixonado torcedor que a situação é crítica e que nesta, e talvez na temporada seguinte, o time que sempre tem a obrigação de lutar pelas conquistas vai entrar em campo para se manter na elite. Era hora de pegar o exemplo do Santos de 2002 e dos últimos anos e acreditar na molecada. Existem garotos considerados jóias, e que precisam ser lapidados não como salvadores da pátria, mas sim como esperança de dias melhores na Gávea. Apesar da economia mandar cada vez mais também no futebol, o marketing do Mengão não funciona como o esperado.

Já no time paulista, a diferença é grotesca dos titulares para os reservas. Porém, entre os suplentes estão nomes como o de Chicão, Willian, Jorge Henrique e Adriano, ou seja, com um período de trabalho Tite terá suplentes a altura. E por lá, o diferente da equipe carioca o marketing funciona muito bem. E regularidade trás patrocinadores, ou então como você explica um time fechar o ano em R$45 milhões?

Vamos aguardar para ver qual será o tempero oferecido para as maiores massas do Brasil. O na medida certa ou o de gosto amargo e rançoso.

Até a próxima!