terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

QUERO SER GRANDE - Por Rodrigo Curty

O título de hoje nada tem a ver com o filme estrelado nos anos 80 pelo ator Tom Hanks "Quero ser grande". O título na verdade cabe ao novo desafio do campeonissímo treinado brasileiro Vandrlei Luxemburgo.
A última vez que Luxa conseguiu um título expressivo no futebol mundial foi no ano de 2004. Ele conquistou o Bi-campeonato do Santos no Brasileirão. De lá pra cá uma soma de fracassos e títulos regionais. Foi assim no próprio Santos, após voltar da fracassada passagem pelo Real Madrid, depois no Palmeiras, Atlético MG, e por fim no Flamengo.
No clube de coração, aliás, o tal"projeto" foi alcançado. Apesar da grandeza rubro-negra, o objetivo inicial era a presença do time na Libertadores da América. Apesar do objetivo cumprido, a relação ruim com um dos maiores nomes do time carioca, Ronaldinho Gaúcho pesou.
Agora o maior campeão de campeonatos brasileiros, cinco no total tem uma nova chance de fazer o tal projeto dar certo. Luxa vai assumir o problemático Grêmio até o final de 2012. O tricolor gaúcho é um clube tradicional e que merece respeito. Se ultimamente Renato Gaúcho, Celso Roth e Caio Jr não deram certo, mas uma oportunidade de Luxa provar que o seu momento de voltar a ser grande voltou. Se o clube gaúcho manter a tradição de recuperar jogadores como Rodrigo Mendes, Rodrigo Fabri, Aílton, Paulo Nunes, André Lima, entre outros, Luxa será novamente um treinador querido no mercado.
O momento atual do treinador não é bom, mas não interessa. Mesmo sem ser o mesmo tempo de quando surgiu ao futebol, em 1990 quando venceu o Paulista pelo Bragantino ou o terror dos adversários quando fez o Palmeiras quebrar um longo jejum de quase 18 anos, e de quebra levar o Bi-brasileiro, além de transformar depois o Corinthians em uma portência e manter o Santos respeitado, após a "Era" Pelé, Luxa deve sempre ser respeitado e servir como base para quem sonha em ser um campeão nas quatro linhas.
Desejo sorte a Luxemburgo e espero ver o "tal projeto" finalmente sair do papel.E já arrisco dizer que o treinador voltará a usar o velho e vencedor terno.
Até a próxima"