quinta-feira, 29 de março de 2012

VALENTIA TARDIA - Por Rodrigo Curty

E a noite de quarta-feira foi péssima para o Clube de Regatas do Flamengo. O rubro-negro se complicou e fechou a rodada em 3º no grupo 2 da Copa Libertadores.

Após um começo promissor com gols perdidos, o que se viu durante quase toda a partida foi um fraco, porém determinado taticamente Olímpia, do Paraguai dominando as ações e mostrando como se joga um torneio deste porte.

Apesar de melhor tecnicamente e aparentemente com jogadores que poderiam resolver a qualquer momento o jogo, os comandados de Joel Santana pecaram nas bolas divididas, nos erros de passes, e nas falhas que resultaram nos gols paraguaios.

O primeiro saiu de um erro de Ronaldinho Gaúcho. O meia quis driblar na hora e local errado e originou uma falta próxima a linha de fundo. Bola na área e lá estava o veterano Orteman pra concluir sem marcação. Isso antes dos 10'.
Sem esquema tático e na base do seja o que Deus quiser, o Mengão buscava o empate. O jogo foi muito pegado, apesar de uma ou outra falta mais dura, o lado positivo foi ver o jodo correr sem interrupções. Está mais do que na hora, principalmente das equipes brasileiras entenderem que o apito é diferente na Libertadores.

Veio a segunda etapa e nada de mudanças no Flamengo. O meio continuava sem explosão, sem marcar em cima e sem criatividade.Mesmo assim veio o belo gol de Vagner Love, este um dos únicos valentes na noite e que jogou muito isolado. O que parecia reação virou problema. Novamente com falha da defesa, o Olímpia abriu mais dois gols no placar com Zeballos e Aranda. Pelo incrível que pareça, o time da casa sentou no placar e viu um Flamengo mais aguerrido. Bottinelli em belo chute de fora da área diminuiu o placar, mas já era tarde, o time carioca saiu derrotado por 3x2, e com a cabeça com uma única certeza: A de ter que vencer seus dois próximos compromissos contra Emelec, no Equador e Lanús, em casa pra não fechar mais uma participação de forma vergonhosa no torneio.

E por favor torcedor, hoje não lemente a derrota e principalmente culpe jogadores como Luiz Antônio e Muralha, pois são jovens talentos e precisam de bagagem e serem lapidados. Apesar de faltar experiência, sobra vontade. A cobrança deve ser maior em consagrados como Léo Moura, Júnior César e Ronaldinho que poderiam ter feito muito mais ontem.

Apesar de ser muito difícil acreditar na classificação e num grupo mais unido nas próximas fases, é sempre bom lembrar que nas horas menos se espera o Flamengo mostra que é Flamengo e dá a volta por cima.
Até a próxima!