segunda-feira, 9 de julho de 2012

GALO VINGADOR - Por Rodrigo Curty

O Brasileirão, série A está apenas no começo, mas já começa a dar algumas impressões para o restante do torneio. Equipes que hoje lideram, provavelmente se mantenham entre os sete primeiros até dezembro, por outro lado, algumas que estão na zona de degola ou próxima dela devem subir nas próximas cinco rodadas. Isso sem falar de times que sofrem com a saída de jogadores importantes, por causa dos jogos olímpicos. Haja coração e paciência.
É sabido que nem sempre aquela equipe que mostra equilibrio, força e sai na frente no início aguenta a pressão e o ritmo para assim se manter no topo. O fato é que nestas oito primeiras rodadas, apenas equipes de Minas e Rio de Janeiro sentiram o gosto da liderança. Atualmente o líder é o Atlético MG. Quem diria que o Galo conseguiria se manter no G4, após tudo que passou na temporada passada e pelas contratações polêmicas? Bem, o fato é que questionado ou não, Cuca volta a ser destaque no hall dos treinadores. Aparentemente sem pulso para administrar o "ego" e por trabalhar um "duelo" interno, onde premia o melhor jogador em campo, é aguardar pra ver como será a equipe, a partir do momento que os jogadores se rebelarem e cobrarem regalias.
O fato é que hoje o Galo é realmente como diz em seu hino, um time vingador. Jogadores que foram mal em outras equipes, que se sentem injustiçados, querem mostrar o seu verdadeiro valor. Sinceramente posso me enganar, mas não vejo o Galo como um dos favoritos ao título. Não pela equipe que possui e padrão tático perfeito que faz do time o menos vazado do torneio. Mas, talvez pela evolução das outras agremiações que se reforçam a cada dia e que também sabem como jogar os pontos corridos. Casos de Fluminense, Vasco e Internacional. Apesar de no meu entendimento não serem uma potência, o São Paulo, Botafogo e Cruzeiro também merecem atenção. 
E o Santos, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Grêmio? Aqui é uma incógnita. O Peixe vai ficar sem grandes jogadores de sua chamada espinha dorsal por 10 rodadas. O Corinthians deve se desmontar, mas possui um padrão único de reposição. Já o Palmeiras se conquistar a Copa do Brasil, vai sem tanto peso e cobrança e pode surpreender, o Flamengo se não se encontrar taticamente e o Grêmio se não equilibrar juventude e experiência podem esquecer bons resultados.
Campeonato longo também suas vantagens como tempo pra se recuperar e oportunidades de contratações ao longo do ano. Dança de treinadores, craques e revelações que mostram serviço na hora certa, zebras que tiram título ou derrubam tradicionais, e por aí vai. Faça a sua aposta momentânea, afinal muita água vai correr por debaixo da ponte.
Até a próxima!