segunda-feira, 10 de setembro de 2012

AS REAIS POSSIBILIDADES - Por Rodrigo Curty

E o segundo turno do brasileirão está cada vez mais interessante. Algumas equipes consideradas mais fortes tropeçam constantemente, casos de Santos, Flamengo, Palmeiras e Internacional. Por outro lado as consideradas mais fracas e meros coadjuvantes somam pontos importantes como Portuguesa, Bahia e Corinthians.
É sabido que o torneio de pontos corridos nos trás sempre surpresas e mudanças quando se menos imagina. Uma vitória, por exemplo vale o mesmo que três empates, porém a quantidade de jogos é o preocupante. De acordo com o passar das rodadas, as equipes terão que se arriscar mais, jogar o chamado tudo ou nada, o problema é que nem todos possuem este planejamento e deixar para as últimas rodadas tende a ser crucial para sobrevivência na elite do ano seguinte.
Na parte de cima da tabela Fluminense e Atlético MG sabem que dificilmente terão problemas para seguir na busca do título. A gordura para os desesperados é muito grande. De qualquer forma todo cuidado é pouco com aqueles que estão logo atrás como Grêmio, Vasco, Botafogo e Internacional. 
No meio da tabela não se pode menosprezar o ladrão de pontos importantes como o Corinthians, mesmo que este esteja com a cabeça no mundial no final do ano. O Timão já arrancou pontos dos líderes e também do Grêmio e pode mais. Duvidar da capacidade de uma equipe com plantel é perigoso. O Cruzeiro vacila demais e para chegar ao seu objetivo terá de uma vez por todas implacar uma sequência de triunfos, será que dá? Eu não acredito. Como não acredito que Portuguesa, Náutico e Ponte Preta se mantenham até o fim com a atual regularidade. É aguardar para ver.
Na parte de baixo, o Figueirense respira, mostra sinal de recuperação, assim como o Sport Recife, Bahia e Coritiba, mas a questão é que a camisa pode pesar na reta final. Palmeiras, Santos e Flamengo atravessam um péssimo momento, entretanto acredito que se salvam pelos confrontos diretos com os que estão na mesma situação. Isso sem falar que os clássicos serão a cereja do bolo para os vôos maiores.
As reais possibilidades neste momento são muitas, a questão é que o tempo ruge e os vacilos não podem seguir mandando na soberania daqueles que acreditam se salvar na hora que a corda apertar.
Até a próxima!