segunda-feira, 22 de outubro de 2012

GALO FORTE VINGADOR - Por Rodrigo Curty

E a 32ª rodada do Brasileirão teve muito jogo interessante, mas arrisco dizer que foram necessárias todas estas rodadas para o brasileiro assistir definitivamente uma partida com cara de final no torneio de pontos corridos. Atlético MG e Fluminense se enfrentaram na Arena Independência, e definitivamente deu novo ânimo na competição.
Mas, antes de entrarmos no duelo dos líderes, vale ressaltar algumas partidas. A vitória do Palmeiras sobre o Cruzeiro, já escrita anteriormente, a quebra da sequência do São Paulo, que não é tudo isso que pintam contra um Flamengo valente e sem grande elenco, mas que não é de hoje joga melhor que muita equipe que enfrenta. As ótimas vitórias de Coritiba e Sport, o empate desastroso do Grêmio, o fator campo da Ponte Preta contra o Santos, e do empate do Corinthians que deu sobrevida ao Bahia. Isso sem falar no péssimo empate sem gols entre Náutico e Portuguesa. Falta Internacional, Vasco, Figueirense e Botafogo fecharem a rodada.
Agora sim, a grande partida da rodada. Como já diz o hino do clube mineiro, ontem literalmente a equipe de Cuca foi um Galo forte e vingador. Desde o início os atleticanos buscaram a vitória. Três bolas na trave, defesas de Diego Cavalieri, erros de arbitragem? Bem, erro de arbitragem? Eu sinceramente não penso que Jailson Macedo Freitas errou ao anular o gol de Ronaldinho Gaúcho, quando a partida ainda estava no placar em branco. Houve carga na barreira, mas o problema é que o mesmo Fluminense se beneficiou deste feito contra o Vasco e ninguém falou nada. Malandragem ou favorecimento aos cariocas? Nada disso, simplesmente a falta de pulso de vários árbitros brasileiros.
Pena que após o “acerto”, o homem de amarelo se perdeu e se sentiu ameaçado, deixando de marcar faltas para o time da casa, e posteriormente compensando punindo tricolores. De qualquer maneira, este é para mim, o melhor árbitro da competição, outros jogos provaram isso, mas o preconceito, e pressão de dois times que brigam pelo caneco podem influenciar.
Mas o que valeu foram os três importantes pontos conquistados pelo Galo. R49 esteve impressionante, assim com o Jô que empatou a partida. Wellington Nem abriu a contagem aos cariocas, depois Jô também virou a partida, que logo teria novo empate, desta vez com o artilheiro do certame Fred. Era suor, lágrima e emoção, e por que não cardíaco sendo testado. O gol da vitória veio nos acréscimos, e dele o zagueiro Leonardo Silva, que sempre resolve na bola área.
Agora são seis pontos que separam as duas equipes (69 a 63). Vantagem boa pra quem perdeu apenas a terceira, mas o psicológico pode trazer consequências desastrosas, será? É aguardar para ver.
Até a próxima!