sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A TROCA DE BASTÃO - Por Rodrigo Curty

E no final da tarde de hoje uma bomba na Seleção Brasileira. Pois é, na moda de black friday, quem se deu mal ou bem, vai saber, foi o técnico Mano Menezes.
O treinador que assumiu a Seleção em julho de 2010 nunca chegou a ser uma unanimidade no comando do time brasileiro foi demitido pela CBF, após reunião na Federação Paulista de Futebol (FPF), em São Paulo, entre o presidente da entidade maior do futebol, José Maria Marin, o vice Marco Polo del Nero, e o diretor de Seleções, Andrés Sanches, este último foi contra a saída, mas foi voto vencido.
Junto com Mano cairam todos da comissão técnica. Agora começam as especulações e os chutes de quem será o novo comandante a carregar o bastão. Será o desempregado e antigo sonho Luiz Felipe Scolari, o Felipão, o vencedor dos últimos tempo Muricy Ramalho, os técnicos do momento Tite ou Abel Braga? Faça a sua aposta, eu particulamente não entrarei nesta seara, mas arrisco dizer que seja um destes ou até o recém renovado com o Grêmio, Vanderlei Luxemburgo, o certo é que a cobrança e risco serão iminentes. Vale lembrar que apesar das duras críticas, mas com belo rendimento Dunga sucumbiu em 2010, ou seja, o novo treinador não sobreviverá apenas com bom retrospecto, e sim com títulos, neste caso Copa das Confederações e a Copa do Mundo no Brasil.
Mano Menezes, de qualquer maneira sai por cima. Depois de uma maré ruim, os últimos resultados, atuações e convocações agradou mais do que o esperado a exigente, porém ausente torcida que se preocupa mais com seu clube de coração do que com a amarelinha.
Ao todo foram 33 partidas com 21 vitórias, seis empates e seis derrotas. De conquistas foram apenas as do Superclássico das Américas de 2011 e de 2012. E de decepções foram as perdas da Copa América e as Olimpíadas, isso sem falar da queda histórica no ranking mensal da Fifa, mas claro que isso não pode ser apenas por culpa do treinador.
A minha torcida é para que seja lá quem assuma o comando, que este consiga definitivamente montar uma equipe coesa, exemplar e acima de tudo possa ter a autonomia de mandar e desmandar. Sinceramente este sonho está bem difícil de se concretizar, mas como brasileiro, espero que você também possa acreditar e jamais desistir da Seleção.
Boa sorte ao novo comandante e até a próxima!