sábado, 17 de novembro de 2012

UM TIGRE AGUERRIDO - Por Rodrigo Curty

E foram necessárias 37 rodadas para finalmente o torcedor do Criciúma comemorar a volta a elite do futebol brasileiro. Após oito anos de ausência e um péssimo campeonato catarinense, nem os mais otimistas acreditavam no retorno em 2013. 
Então por que os catarinenses conseguiram a proeza? A resposta é simples. A mudança de atitude, o comprometimento, as mudanças estruturais, gerenciais e o apoio do torcedor foram fundamentais para o retorno.
O Tigre mereceu demais, afinal desde a primeira rodada até está, a equipe jamais saiu das quatro primeiras colocações. Jogando em seus domínios, no estádio Heriberto Hülse, com exceção das últimas quatro partidas, ninguém mandou mais. Foram 14 vitórias, quatro derrotas e um empate, justamente este ponto que o trás de volta, chegando aos 72 para delírio do Estado que terá novamente um único representante na Série A.
Paulo Comelli foi fundamental no comando e emocional de seus comandados. Um time modesto, mas equilibrado e com uma união sem vaiadade que fez e faz diferença em qualquer equipe. Destaque do time, sem dúvida foi o artilheiro Zé Carlos. Além de ter se tornado o maior artilheiro de uma edição da Série B com 27 gols, o jogador que mesmo acima do peso foi fundamental na volta do Tigre a elite, pode encerrar o ano como maior artilheiro do Brasil. Hoje ele está empatado com Neymar. 41 gols cada. É de se admirar.
Mas de volta a B, o Goiás ajudou os catarinenses com o empate por 1x1 contra o São Caetano, em pleno Anacleto Campanella.O Esmeraldino tem tudo para ser o campeão do torneio, já o Azulão vacilou na hora errada. A penalidade desperdiçada hoje com certeza fará falata. Aposto nos retornos de Vitória e Atlético PR, mas vamos aguardar, pois o futebol sempre prega peças, quando se menos espera. 
Parabéns ao Tigre que deve ser tão aguerrido em 2013, como foi no segundo semestre deste ano.
Até a próxima!