terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O ETERNO CAMISA 12 - Por Rodrigo Curty


E não é que o tempo realmente voa? Bem, no caso dos esportistas não é diferente. 

Para muitos destes é inclusive mais dolorido do que qualquer outra profissão. Talvez pela magnitude de saber que não viverá mais a atmosfera que envolve uma partida, a idolatria ou cobrança de uma apaixonada torcida, entre outras emoções.


Hoje definitivamente o eterno camisa 12, Marcos ou se preferir "São Marcos" se despede dos gramados defendendo a sua amada Sociedade Esportiva Palmeiras. 
Criado nas categorias de base do clube, foram ao todo 532 partidas com a camisa alviverde e presença em muitas conquistas importantes. Em 1994 era o terceiro goleiro do tetracampeonato brasileiro. Depois mesmo do banco de reservas conquistou o Paulista-96, Copa do Brasil e Mercosul, ambas em 98, para definitivamente assumir a posição em 1999. 
Uma pena que a partida não possa ser jogada no Palestra Itália, mas também não deixa de ter um grande brilho por ser no tradicional Pacaembu, principalmente por quem estará em campo ou nos bastidores.

O duelo de despedida será entre o Palmeiras, campeão da Libertadores de 99 misturada com outras equipes do passado e atual, e a seleção brasileira de 2002, pentacampeã mundial com peças que não estiveram na conquista e que também brilharam na equipe paulista, mas calma Marcos é apenas um e defenderá o alviverde, principalmente pelo fato de ser homenageado com um busto, mas apenas quando entregar a nova Arena.

A simplicidade de Marcos o assustou com todo o movimento criado pelo seu adeus, afinal é um cara envergonhado e pouco acostumado com homenagens como, por exemplo, as manifestações virtuais que engloba o pré-jogo e o confronto. Uma marca foi criada com o objetivo de juntar estas ações. "Amém, Marcos". Veja no site (www.amemmarcos.com.br) todas as informações como a carreira do grande goleiro, uma analogia da mística da camisa 12, onde são mostrados os 12 maiores milagres do arqueiro escolhidos pelos internautas, os 12 mandamentos da fera, vídeo com depoimentos de companheiros e técnicos, e muito mais.

Então confira nesta noite quente em São Paulo, os 50 profissionais que participarão do jogo de despedida do eterno camisa 12 palmeirense ou palestrino. Nomes como os de Tonhão, Dudu, Ademir da Guia e Edmundo. Já o Brasil terá três jogadores que fizeram parte da campanha do Palmeiras em 1999. O goleiro Velloso, o lateral esquerdo Júnior e o zagueiro Roque Júnior. Além deles, Djalminha, que não foi à Copa de 2002, mas que brilhou no Verdão em 1996.

Ótima partida a todos os palmeirenses e também aos apaixonados pelo bom futebol, e que de certa forma lembrarão com carinho do goleiro, nem que seja ao menos nas partidas da seleção brasileira.

Até a próxima!