terça-feira, 8 de janeiro de 2013

CRAQUE FORA DE MODA - Por Rodrigo Curty

E mais uma vez deu o resultado óbvio na escolha do melhor jogador do mundo. Independente de questionarem que o escolhido sempre é um atleta que atua na Europa, sejamos coerentes e menos críticos ao entender que dificilmente tenha algum outro jogador no "planeta" que possa bater o argentino Lionel Messi.
O craque argentino e do Barcelona não para de colecionar títulos individuais, e mesmo ainda sem ter uma Copa do mundo na carreira, dificilmente o jovem de apenas 25 anos não possa um dia chegar a ser o maior mito da história do futebol mundial. Pelo fato de disputar a Liga dos Campeões, o maior torneio do futebol mundial, os obstáculos até então invencíveis serão tranquilamente batidos por Messi. O de artilheiro, por exemplo já era,
Em 2012 o Barcelona não conquistou títulos, mas mesmo assim o camisa 10 teve destaque. Foi artilheiro do ano, aliás um recorde desde os tempos da China. Marcou 91 gols no ano, número maior que de muitas equipes importantes mundialmente. Para se ter uma noção, o recorde era do alemão Gerd Muller, que em 72 marcou 86 gols.
Por isso não se pode questionar o título dado ao ser humano que no início de vida era tido por vários médicos como um incapaz. Aos oito anos foi dado como autista e com nenhuma possibilidade de chegar a fase adulta, devido ao anismo. Sim, Messi foi considerado anão aos 13 anos e teve que passar por tratamento para chegar ao seu tamanho de 1.69m. Uma vitória para quem sofreu com a falta de dinheiro e uma série de tratamentos hormonais, mas essa é uma outra história, o que vale é parabenizar a quarta conquista seguida da bola de ouro como craque da Fifa que é um fato inédito. 
E engana-se quem pensa que a disputa sempre foi fácil. Cristiano Ronaldo e Iniesta também merecem crédito. O português deve ter ficado chateado, mas deve ter a certeza que a quarta vez seguida que se tornou vice do La Pulga é algo para não baixar a cabeça, e por que não se orgulhar. O cara é realmente imbatível, um fora de série dentro e fora dos gramados, mas claro, desde que não venha a virar modelo.
Neste aspecto, definitivamente ele está fora de moda. O figurino do craque argentino foi algo ridículo, uma bola fora, e talvez tenha sido proposital, pois caso não vencesse, poderia afirmar que a roupa era para mostrar que ele estava vestido de "bobo", mas não de "palhaço", mas vamos respeitar as escolhas, afinal gosto é algo que não se discute.
Parabéns Messi, e abre o olho críticos que entendem que ele só ganha os méritos por causa de seus também estrelares companheiros. A Copa do Mundo tem tudo para ser a consagração do craque. Assim, se cuida Maradona e outros mais.
Até a próxima!