quarta-feira, 1 de maio de 2013

CONSAGRAÇÃO DO CAMISA UM - Por Rodrigo Curty

O Palmeiras foi a primeira equipe brasileira a entrar em campo pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O adversário foi o chato time do Tijuana, no México. O maior adversário do Verdão, porém foi o gramado sintético. A bola corre mais, o domínio é essencial, preparo físico, e claro uma certa dose de sorte.
Ontem, independente destes fatores não terem surtido efeito para os donos da casa. Antes do duelo, o time mexicano passou por todos que lá estiveram. Do lado da equipe brasileira valeu a maturidade, equilíbrio e a bela partida principalmente do goleiro Bruno.
O arqueiro, bastante criticado pelas falhas contra o Ituano, foi bem contra o Santos, apesar da eliminação do Paulista, e muito bem contra o Tijuana. O camisa 1 evitou pelo menos três gols do adversário. Substituir Fernando Prass, o que para muitos, inclusive para mim, apesar da temporada não tão brilhante como nos tempos do Vasco está entre os melhores goleiros do país, por isso a tarefa não é fácil, ainda mais quando a pressão de fora é grande, seja ela por torcedores ou da imprensa.
Isso, por enquanto não atrapalhou Bruno, que experiente, apesar da pouco idade, é bem orientado pelo seu comandante Gilson Kleina, e nitidamente apoiado pelos seus companheiros. O Palmeiras mostra a cada partida que sabe jogar contra as adversidades, e mesmo longe de ser considerada uma fortissíma equipe tem seus valores, entre eles o conjunto, a humildade e a garra até o apito final
O empate fora de casa pode e deve ser comemorada, mas com bastante cautela, afinal, gol fora de casa é um fator determinante para a eliminação. Desta forma, é nítida a obrigação da torcida fazer novamente o seu papel, o de empurrar, apoiar e fazer do Pacaembu, um caldeirão alviverde. Se fora de casa o Palmeiras não consegue sair do zero, foi assim nas quatro partidas disputadas no torneio, em casa foi só alegria contra o Sporting Cristal, Tigre e Libertad. A expectativa da torcida é essa, a de lotar o estadio e ajudar o Palmeiras a conquistar mais uma bela vitória sem sustos e com alegria, e de quebra de continuar surpreendendo a todos.
Até a próxima!