quinta-feira, 16 de maio de 2013

PONTOS EM COMUM - Por Rodrigo Curty

A Copa Libertadores da América de 2013 contou no início com seis representantes brasileiros. O fato de pela primeira vez contar com tantas equipes do país, levou o novo comando da federação sulamericana, a bagunçada e politizada Conmebol a repensar o torneio para as próximas edições. Dentre as possíveis mudanças está a redução das equipes, hoje com 32 times.
Sinceramente, sou a favor de no máximo quatro representantes por país, mesmo porque no caso do Brasil, quem participa do torneio, entra automaticamente nas fases do mata-mata da Copa do Brasil, campeonato este que leva o campeão à Libertadores do ano seguinte. O desgaste e o calendário são terríveis para os clubes.
Mas de volta ao presente. A Copa Libertadores 2013 segue a todo vapor e com os brasileiros se despedindo aos poucos. Agora restam apenas três representantes: Fluminense, Atlético MG e Grêmio, que nesta noite decide a passagem às quartas de final contra a equipe colombiana do Santa Fé.
São Paulo, Palmeiras e Corinthians já deram adeus. O primeiro no confronto caseiro contra a melhor equipe da competição, o Atlético MG. O segundo que surpreendeu enquanto pode, acabou derrotado, em casa contra o estreante e novato Tijuana(Mex). Já o terceiro e atual campeão foi prejudicado e eliminado pelo copeiro Boca Jrs(Arg).
Os pontos em comum de cada eliminação se dá pelo fato de serem equipes paulistas e campeões dos torneios do ano passado. O tricolor venceu a Copa Sul-Americana, o Verdão a Copa do Brasil, e o Timão também levou o Mundial de Clubes. Os três tiveram uma relação com bichos nesta eliminação e gozação de adversários. Ganso, Pato e Frango foram protagonistas. 
Independente de qualquer coisa que se diga de cada adeus, o fato é que dos três, o atual campeão foi o que mais se prejudicou. Os argentinos tiveram uma partida perfeita, principalmente na primeira etapa. Bem postada em campo, fria nas horas decisivas, inteligência e um comando de quem já conquistou quatro vezes o torneio. 
Mas, o Corinthians também foi bem, buscou resolver o placar adverso da primeira partida(1x0), e não se perdeu com a arbitragem. Duas penalidades, dois gols legítimos, faltas duras, enfim, vários ingredientes que nos fazem acreditar cada vez mais que a Federação tem sim um interesse em tirar o Brasil da frente, e valorizar outras agremiações.
Não é de hoje que um campeão conta com certos favorecimentos sem provas, e que no futuro tem que retribuir. Nem entendo que o Corinthians conquistou à América, graças a isso, impossível, pelo planejamento, invencibilidade e respeito que ganhou dos adversários, mas por lutar pelo Bi, por ser um time da moda, milionário e que conta com um elenco inchado, era mais fácil eliminá-lo para ajudar aqueles que buscam a conquista, seja inédita ou não.
Vale a pena manter as atenções nos brasileiros restantes no torneio. Contra o Emelec, o Fluminense passou mais por pouco não foi eliminado pela arbitragem. O Grêmio deve sofrer hoje contra o Santa Fé, o Galo vai encarar um time que pode ser favorecido. É aguardar para ver os pontos comum das eliminações, favorecimentos e se o campeão será mesmo o que fez por onde.
Até a próxima!