quinta-feira, 9 de maio de 2013

PROMESSA CUMPRIDA - Por Rodrigo Curty

E o duelo entre Atlético MG e São Paulo pelas oitavas de final da Copa Libertadores foi eletrizante. Antes da partida eu já imaginava uma partida pegada, repleta de gols e certo respeito, sim o Galo deveria respeitar a tradição e jogadores importantes do outro lado, mas o que se viu foi um sufoco alvinegro, desde o início da partida e um próprio tricolor se desreipeitando.
A vantagem conquistada no primeiro confronto fez uma grande diferença, mas o que se viu foi um Atlético MG empurrado pela massa alucinada nas arquibancadas do Independência querendo definir logo a classificação, e um São Paulo amedrontado, sem alternativas, displicente e longe de estar em uma disputa de Libertadores.
Claro que os méritos da vitória são inquestionáveis, uma vez que a goleada de 4x1 ficou barata pelo que se viu. Os comandados de Cuca estão voando. O time é bem obediente taticamente. A experiência faz toda diferença. Não existe um único jogador, é um perfeito conjunto de defesa e ataque. A espinha dorsal é quase que perfeita. Revér, Pierre, R10, e o trio de atacantes.O time é o da moda, é o que todos querem ganhar, mas será que é porque é mesmo uma potência, ou por que o nível está abaixo das expectativas. Eu particulamente gosto do jeito que o Galo joga. Sem medo e com velocidade. 
O que devemos nos atentar é no que os jogadores falam e que prometem. Se na derrota contra o mesmo São Paulo, R10 foi questionado, ontem honrou com a promessa, de que na hora que for para valer, a história seria outra, mas vale manter a boca aberta? Motivação nas provocações, muitas das vezes é vista de forma negativa, mesmo esse Galo que literalmente canta e pode cantar de Galo.
De volta a bela vitória, sejamos sinceros em admitir que os desfalques também foram sentidos do lado paulista, mesmo que isso não justifique o vareio de bola mineiro. Para muitos, o maior culpado desta eliminação é o zagueiro Lúcio, que antes para grande massa era a melhor contratação são-paulina. O xerife, porém ainda não vingou. Fora isso a permanência do presidente Juvenal Juvêncio que manda na escalação e palpita quando não deve, prejudica um comando, seja ele de Ney Franco, que não é de hoje é chamado de Ney Fraco ou qualquer outro que venha assumir. 
O fato é que a zaga é pífia e os laterais improvisados, mas os volantes são sérios e técnicos, assim como os meias são acima da média. Já o ataque é de lua. Vejo Osvaldo e Aluisio como titulares, pois Luis Fabiano está desgastado e não consegue embalar. E que fique claro que ele em forma é um dos melhores do país.
O desgaste do tricampeão é nítida. O maior ídolo Rogério Ceni não para de ser manchete negativa. E sinceramente, considero injusta a nação tricolor pedir urgentemente a sua aposentadoria, porém craque deve saber a hora de parar, e olha que neste torneio, esta que deve ter sido a última partida foi a de número 82, em um total de 153. Não é para qualquer um. Agora é aguardar e ver se o líder tricolor encara o Brasileirão que é complexo, exigente e de fato desnecessário para o capitão.
Boa sorte a ambas as equipes e até a próxima!