quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O EQUILIBRADO E SURPREENDENTE BRASILEIRÃO - Por Rodrigo Curty


A 22ª rodada do Brasileirão, série A começou de forma surpreendente e foi importantíssima para Cruzeiro, Vitória e São Paulo, e decepcionante para as torcidas de Vasco, Grêmio e Corinthians.
Apesar do velho equilíbrio que o torneio apresenta desde o início da era dos pontos corridos, o fato de ter uma disparidade do primeiro colocado Cruzeiro para o segundo Botafogo é de se avaliar com cuidado. Uma diferença de sete pontos, restando 16 rodadas para se jogar não pode ser desprezada. A questão é que o líder não vacila e joga cada partida como uma final.
Na vitória de ontem ficou claro a supremacia, força da torcida e fator campo para o clube chegar ao título. O Glorioso vacilou e sentiu a força da Raposa. Seedorf é craque, mas bem marcado não consegue ser o mesmo. De quebra ainda perdeu uma penalidade.
O Brasileirão é tido como o campeonato mais equilibrado do planeta. Independente do equilíbrio técnico das equipes, times enfraquecidos, surpresas inesperadas, não é à toa que no país este esporte é a paixão mundial. Todo ano é a mesma coisa, sempre temos uns sete favoritos, uns sete que podem cair e por aí vai.
O que dizer do São Paulo, por exemplo. A química entre Muricy Ramalho e o tricolor é evidente. Três jogos, três vitórias, e todas com a cara do treinador. Se os triunfos vieram com sorte, se o time não joga bem ou quaisquer outras coisas que digam para justificar o crescimento ressaltam o trabalho que é feito e sempre que o que vale no fim é a conquista dos três pontos na tabela. Se antes do velho conhecido retornar ao clube falavam de lutar para sair do rebaixamento, hoje já falam que a distância para o G4 é de apenas oito pontos. E alguém dúvida que isso pode acontecer?
Na parte de cima que tínhamos um Corinthians badalado, porém completamente desnorteado, sem padrão tático diferenciado para sair do que chamamos de manjado, agora começa a se preocupar com a queda. Sim, são apenas três pontos do São Paulo e menos para times que estão logo abaixo.
E por falar parte de baixo. A Ponte venceu o Timão para respirar, apesar da situação ainda complicada. O Vasco caiu demais de produção e perdeu a segunda seguida em seus domínios. O Atlético MG apesar da derrota pode se manter na parte mediana por ter mais plantel.
O futebol é tão maravilhoso que o Fluminense que sofria já começa a pensar alto. Coritiba e Grêmio caíram de produção em casa nas últimas rodadas e devem pagar caro por isso. O Internacional acredita que possa ter uma sequencia de vitórias. No caso do time Vitória, o mesmo respira como pode assim como seu rival Bahia. Criciúma reina fora e peca em casa. Já Portuguesa, Flamengo, Goiás, Santos, enfim não dá para saber ainda o que se esperar.
O campeonato deve ter uma cara mais concreta de quem será o campeão, os quatro rebaixados e os representantes nos torneios internacionais faltando umas cinco rodadas. Enquanto isso curta o futebol, que feio ou não é empolgante a cada rodada porque faz tudo e todos os prognósticos mudarem.
Até a próxima!