quinta-feira, 24 de outubro de 2013

HERÓIS DA NOITE - Por Rodrigo Curty

E a noite de quarta-feira será inesquecível principalmente para três jogadores: Hernane, Dida e Rogério Ceni. O trio fez a alegria dos torcedores de Flamengo, Grêmio e São Paulo, respectivamente. 
O primeiro foi o grande destaque do rubro-negro carioca no duelo válido pelas quartas-de-final da Copa do Brasil. Se na partida de ida deu empate em 1x1, na de volta o Flamengo sobrou. O artilheiro do novo Maracanã chegou ao sexto no torneio, após marcar três na goleada de 4x0. O Glorioso não viu a cor da bola e teve que se contentar com a sua torcida indo embora mais cedo para casa. Agora é saber se os comandados de Jayme de Almeida manterão os pés no chão e se apesar de limitado manterão esse jogo unido e em conjunto com a torcida, afinal ficou claro que desse jeito dificilmente será batido.
O próximo duelo será contra Vasco e Goiás que se enfrentam hoje. O Cruzmaltino perdeu a primeira por 2x1, porém se vencer por 1x0 leva a vaga, pelo critério.
Na outra semifinal também teremos um grande duelo. O Internacional que não conseguiu vencer o Atlético PR em casa, e pior empatou com gols (1x1) tinha que vencer no Paraná. Em partida pegada deu empate, mas por 0x0, o que garantiu o Furacão que receberá o Grêmio.
E olha que o tricolor sofreu para eliminar o Corinthians. Se na partida de ida fora de casa deu empate sem gols, na Arena Grêmio, apesar das oportunidades, o placar se repetiu. Assim a decisão da vaga foi para a marca da cal. De um lado Walter, revelação alvinegra, do outro o veterano e pegador de penalidades Dida. É bem verdade que nos últimos tempos o tricolor gaúcho não teve muita sorte nas cobranças, mas ontem mesmo desperdiçando contou com a estrela de seu camisa 1.
A vitória veio por 3x2, sofrida e do jeito que os gaúchos gostam. Erro aqui, erro ali, Walter pegando dois, se consagrando e a pressão ficando por conta do ex-arqueiro da Seleção Brasileira.
Era Dida contra Pato. Era ida para as cobranças alternadas ou classificação do time do Sul. A cobrança foi horrorosa, e mesmo se não tivesse se adiantado, Dida pegaria. Erro esse que gerou raiva na torcida corinthiana que imediatamente fez pedidos de renovação no elenco.
Para piorar a noite desta torcida apaixonada, acabou de forma terrível. O maior rival na atualidade conseguiu o inesperado, passar pelo Universidad Católica (Chile), fora de casa. Se no Morumbi o empate por 1x1 era dado como perdido, ontem foi dado a prova que um time limitado, mas que joga a vida pode conseguir ir longe. O tricolor levou pressão desde o início, mas quando atacou resolveu. O ponto é que o criticado goleiro Rogério Ceni fez verdadeiros milagres. Foi um monstro. Pegou até vento. E olha que mesmo assim levou três gols. Os comandados de Muricy Ramalho começaram atrás no placar, erravam demais e levavam o torcedor ao desespero, mas os toques refinados de Ganso, a garra de Aloísio e o esquema para chegadas de surpresa no ataque deram certo. Virada de 4x3, confiança renovada e sonho de chegar a Libertadores. Agora o tricolor aguarda o adversário que saí do duelo entre Nacional de Medellín e Bahia. Na partida de ida, vitória dos colombianos. 
Até a próxima!