terça-feira, 26 de novembro de 2013

ETERNO MAGRO DE AÇO - Por Rodrigo Curty

O Flamengo deu a sua torcida vários ídolos. Seja goleiro, zagueiro, volante, lateral, meia ou atacante, isso sem falar de treinadores. Peço perdão ao torcedor rubro-negro, mas arrisco dizer que se não a totalidade, mas a maioria irá concordar que um que sempre será lembrado e idolatrado é o ex-zagueiro Ronaldo Angelim, conhecido como Papada ou simplesmente Magro de Aço.
Hoje essa grande figura completa mais um ano de vida. 38 anos, e diga-se de passagem, se não fossem os problemas causados pelo excesso de jogos, creio que daria para suportar mais uns dois anos. 
Ronaldo Simões Angelim nasceu em São Paulo, mas foi no Ceará que começou sua vida esportiva. Iniciou a carreira no Icasa, equipe da terra de Padre Cícero, Juazeiro do Norte. Lá ele dividia os treinos e o sonho de ir longe um dia com a tarefa de cavar poços artesianos e agricultura. 
Em 1999 antes de realizar o sonho de jogar em uma grande equipe, atuou no Juazeiro do Norte. Após a curta passagem, Angelim vai para o Ceará onde se destaca e tem a oportunidade de no ano seguinte defender as cores do Ituano, na terceira divisão paulista. Sem ter muitas oportunidades, o craque da zaga retorna ao Ceará, mas precisamente ao rival Fortaleza.Foi lá que ele ganhou de vez a sua projeção, recebeu apelido, bandeira e foi eternizado.
O motivo é simples. Jogador de grande habilidade para desarmar os atacantes, ele ajudou o tricolor retornar à Série A do Brasileirão, em 2005. Detalhe que foi dele o gol salvador.
Foi então que em 2006, o xerife desembarcaria no Rio de Janeiro para continuar a fazer historia.
Em sua estreia no Flamengo, uma vitória de 4x2 sobre o Americano, inclusive deixando sua marca. Não poderia ter sido melhor, veio a conquista do estadual, a Copa do Brasil e cada vez mais status de ídolo rubro-negro.
Angelim passou por cima de todas as dificuldades. Mesmo com nomes como Rodrigo e Leonardo, ele mostrou qualidade e se manteve titular. Foi ao lado de Álvaro que ajudou na conquista do hexa, mas foi com Fábio Luciano que formou uma das melhores duplas de zaga do clube carioca.
A carreira foi vitoriosa principalmente no Flamengo. Lá foram 284 jogos e 17 gols marcados. Conquistou os títulos da Copa do Brasil (2006), o tri estadual (2007/08/09) e o Campeonato Brasileiro (2009). Esse, por sinal jamais sairá da memória dos flamenguistas, afinal a agonia de 17 anos sem o Nacional pelos mais de 40 milhões de torcedores se quebrou, graças ao gol de Angelim, de cabeça. O gol que eternizou o jogador que permaneceu na Gávea até 2011, quando com 36 anos não teve chance com o então treinador Vanderlei Luxemburgo.
No ano seguinte, Angelim seguiu para o Barueri para disputar a Série B e nesse ano regressou ao Fortaleza, local que jogou por quatro meses e teve que se aposentar, devido as dores que o esporte lhe trouxe.
Por tudo isso, nada mais justo que parabenizar. Parabéns Ronaldo Angelim! Meu desejo é que os novos zagueiros se espelhem em você no quesito profissionalismo, respeito, garra, lealdade e amor pelo que faz.

Até a próxima!