quinta-feira, 7 de novembro de 2013

FINAL RUBRO-NEGRA - Por Rodrigo Curty

E foram conhecidos os finalistas da Copa do Brasil de 2013. Flamengo e Atlético PR decidirão o torneio. O rubro-negro paranaense chega pela primeira vez a decisão. Já o carioca busca seu terceiro título na sexta final que disputará. O Estado do Paraná, aliás terá pela terceira vez consecutiva um representante na final. Em 2011 e 2012, o Coritiba perdeu a chance da conquista inédita ao ser derrotado por Vasco e Palmeiras, respectivamente. Agora o Estado aposta no Furacão.
Ambas as equipes chegaram à final de forma brilhante. O Atlético a partir das oitavas-de-finais eliminou Palmeiras, Internacional e o Grêmio. O Mengão tirou do caminho o Cruzeiro, Botafogo e Goiás. 
Assim é impossível não acreditar que os dois duelos serão disputados, nervosos e repletos de emoções. A primeira partida será no dia 20 de novembro, no Durival de Brito. Lá dificilmente o time da casa é batido, mas tem um fator que também jogará contra, o gramado. Judiado pelo excesso de partidas não só do Atlético como também do Paraná, a tendência é que as bolas paradas possam decidir.
No dia 27 de novembro, o palco da grande decisão será no Maracanã, que conta com um gramado mais refinado e a possibilidade de muitos torcedores presentes.
Agora vamos saber como cada uma das equipes chegaram a decisão.
O Furacão encarou o Grêmio. Na primeira partida, em casa, triunfou pelo magro, porém importante 1x0. Na Arena Grêmio tudo levava a crer que o time da casa conseguiria no mínimo levar a partida para a marca da cal, mas mesmo dominando o jogo, os comandados de Renato Gaúcho não contavam com a frieza e a excelente noite de Weverton. O goleiro pegou tudo e teve até a sorte de contar com a trave nos momentos mais difíceis. O ataque do tricolor gaúcho para variar não marcou. O time precisa de muito mais para terminar o Brasileirão no G4, de preferência conseguir entrar na Libertadores na fase de grupos.
Independente de pressão não se pode menosprezar o time paranaense. Há muito tempo eles mostram seu valor, e estão longe de serem considerados zebra. O planejamento no início do ano está dando resultado. Parabéns à diretoria que soube como conciliar a experiência de Luiz Alberto e  Paulo Baier, e principalmente por deixar Vagner Mancini trabalhar. Na pior das hipóteses o time estará na Libertadores pelo Brasileirão.
No lado do Flamengo os méritos também existem. Curiosidade ou não, a entrada de Jayme de Almeida no comando se deu, após a derrota vergonhosa e de virada por 4x2, no Maracanã contra o Furacão. De lá pra cá foram 15 jogos com 9 vitórias, 4 empates e apenas 2 derrotas, sendo uma com equipe reserva. A postura da equipe é outra. O time é unido, joga leve, inteligentemente e comete poucas faltas. Não se afoba e nem se perde em placares adversos. Ontem foi um exemplo disso. Perdia por 1x0 para o Goiás e teve a calma para virar para 2x1, marcar gol e tê-lo anulado de forma equivocada, suportou a pressão, e acima de tudo teve o apoio constante de sua fanática torcida. Outro ponto importante a destacar é a forma que Léo Moura, Chicão, André Santos e Elias comandam os mais novos. Esse time está longe de ser uma potência, mas pode incomodar muito mais se for mantido e recheado com poucas peças nas laterais, meio e ataque.
Mas, diferente do Atlético PR, o Flamengo sabe que o título da Copa do Brasil é a sua única forma de chegar na Libertadores de 2014. 
Promessa de um grande duelo de rubro-negros. É aguardar para ver.
Até a próxima!