terça-feira, 12 de novembro de 2013

PRUDÊNCIA, CANJA DE GALINHA E DINHEIRO NO BOLSO - Por Rodrigo Curty

E parece que o técnico Vanderlei Luxemburgo não aprende com os erros atuais, e pior não se atualiza das novidades e momentos da vida de um treinador de futebol.
O até então "técnico grife" foi dispensado novamente do cargo, desta vez do Fluminense. É bem verdade que os problemas a partir do momento que assumiu a equipe, na 10ª rodada ajudaram e muito, por exemplo ter sido chamado de flamenguista pelo então diretor de futebol Rodrigo Caetano. A questão é que não é de hoje que vemos equipes tecnicamente modestas se darem bem, uma vez que jogam ou contam o respeito de seu comandante, mesmo torcida, diretoria e jogadores sabendo para que time o treinador torce. O futebol se cala com resultados. O profissional faz a diferença quando coloca em xeque a sua paixão x profissão. Luxa em sua carreira cansou de bater o clube de coração Flamengo, e nem por isso deixou que tal situação o afetasse.
O problema é que para ajudar, nas Laranjeiras ele não ter tido a oportunidade de contar com peças como Wellington Nem, Thiago Neves, Deco, Fred, e por aí vai seria difícil até se fosse com Guardiola no comando, mas ele deveria ter tido mais prudência, mas o papo de boleiro que cansou de levá-lo as glórias. Outro ponto que temos que considerar também foi a série de desfalques, falta de peças de reposição, excesso de garotos, que aos poucos foram queimados. Tudo isso foi crucial para permanência, mas independente de eu estar longe de afirmar que Luxa não tem o seu valor e ser considerado o único culpado, apenas não concordo o fato dele ter justificado a sua demissão como se tivesse feito uma excelente campanha.. 
O treinador e seus projetos há tempos não dão resultado. A prepotência em achar que trás para o Brasil o que dá certo no exterior, que não há motivos para treinar, afinal Alex Fergunson não fazia isso, entre outras coisas. Faltou a Luxa temperar melhor seu plantel e diretoria. Deveria ter saído quando foi colocado na parede. 
Hoje alguns jogadores vibram com a queda e por não terem que aturar os xingamentos e humilhações nas preleções. Muitos afirmam que incomodava também ter que conviver com Luxa aparentemente desinteressado nos treinos e focado em churrascos. Calma lá, que isso não é exclusividade e com trabalho dando certo, que mal tem? A questão é que há um bom tempo isso não ocorre. No tricolor gaúcho até que houve um momento mais vitorioso, no carioca é para fazer qualquer torcedor esquecer a passagem. Foram 26 jogos com apenas 7 vitórias, 9 empates e 10 derrotas. São números que levaram o tetracampeão brasileiro à zona de rebaixamento e muito próximo de jogar à série B no ano que vem.
Agora o bolso do comandante segue bem valorizado, e pelo incrível que pareça, clubes insistem em apostar nele como a solução para os problemas e para uma ótima administração, enfim, agora é esperar e ver qual será o próximo desafio.
Por fim, sem trocadilho, Luxa foi bastante Júnior, e por coincidência deixa o cargo para o que a direção tricolor considera o ideal para se livrar do descenso, Dorival Jr, o treinador que também não consegue parar em nenhum clube terá cinco jogos para salvar o time, o primeiro não poderia vir em melhor hora, o já rebaixado Náutico.
Vamos em frente e aguardar para ver se cai algum grande do Rio, afinal o Vasco também corre por fora ou se teremos Coritiba, Portuguesa e Bahia perdendo o gás na reta final.
Até a próxima!