quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

113 EM 90 MINUTOS - Por Rodrigo Curty

Está chegando a hora. A Ponte Preta definitivamente pode cravar seu nome de forma vitoriosa no futebol. Um time que tem em seus mais de 113 anos de vida, muita luta, revelações de jogadores, dor, alegria e esperança. Hoje o grito de "É campeão" é mais do que esperado.
Mais uma vez Brasil e Argentina estão frente a frente.Independente de qualquer que venha ser o placar final, sinceramente o time campineiro deve ser valorizado, pois encarou verdadeiras pedreiras para chegar à decisão da Copa Sul-Americana. Tirar equipes como Vélez e São Paulo para não citar outras não é tarefa para qualquer um. Jorginho conseguiu montar um grupo coeso que joga um futebol respeitando suas limitações e que aposta em contra-ataque para se consagrar.
Hoje a bola rola pela última vez no torneio de 2013. Serão 90 minutos, fora os acréscimos ou uma possível prorrogação e por que não penalidades. Empate leva a este cenário. 
O adversário é o Lanús, time que terá seu Estádio de nome Néstor Díaz Pérez, completamente tomado e barulhento. Os ingredientes só valorizam mais a possibilidade da histórica conquista. A campanha de ambos e o tipo de futebol é bem parecido. O jogo tem tudo para ser dramático, e deve ter expulsões e mais uma vez a bola parada decidindo.
O sofrimento não incomoda a torcida da Macaca que acredita demais, afinal viu sua equipe passar pelos adversários citados acima vencendo fora. Em casa, curiosamente o time não conseguiu triunfar. Na semana passada, por causa do regulamento que pede um estádio com capacidade acima de 20 mil ocorreu no Pacaembu. Empate em 1x1.
Assim, o time que está desde o início da semana em Buenos Aires para se ambientar e respirar a decisão terá o apoio de 2,5 mil torcedores, mas do Brasil o número aumenta, pois pelo que se sabe, apenas os torcedores de Guarani e Botafogo, sim, pois esse para estar na repescagem da Libertadores depende da derrota da Ponte Preta, torcerão contra.
Mas para os pontepretanos o que vale mesmo é debutar e calar os críticos que sempre o consideraram uma zebra, que diga-se de passagem por ser preto e branco só ajudou na análise. 
Boa sorte ao time brasileiro e que vença o melhor.