domingo, 1 de dezembro de 2013

A MATEMÁTICA DA CORDA BAMBA - Por Rodrigo Curty

E a reta final do Brasileirão será eletrizante para os clubes que lutam por uma vaga na Copa Libertadores e contra a queda à série B. 
No caso dos que lutam pela permanência a luta será mais crítica. Clubes como Vasco, Fluminense, Coritiba, Portuguesa, Criciúma, Internacional sofrerão até o último instante. Desses a situação dos cariocas é a pior, inclusive com a possibilidade da queda de ambos. 
A tendência, por mais que a torcida não queira pensar é que a tradicional mala preta entrará em campo, antes mesmo da partida começar. Os jogos considerados chaves podem interessar, uma vez que sempre o discurso de um agrado não faz mal a ninguém, de que o clube que aceita não faz nada de errado, uma vez que teve a competência de se livrar, e por aí vai. Isso, sem hipocrisia sempre existiu e existirá, por mais que afirmem o contrário.
Dessa forma, o Fluminense, por exemplo pode querer agradar o Bahia, o Vasco o Atlético PR, desde que esse esteja confirmado na Libertadores, e de preferência na fase de grupos, e o Coritiba o São Paulo. Mesmo que haja uma vitória do trio, quem pagaria o pato seria o tricolor carioca e o Criciúma que precisaria passar pelo Botafogo, no Rio de Janeiro, e que provavelmente estará sem chance de Libertadores, ou seja, caso Flu, Vasco, Coxa e Tigre vençam, algo inédito aconteceria, a dupla carioca dariam as mãos e disputariam a B em 2014.
Para a valorização da segundona seria muito interessante, mas para a Cidade Maravilhosa um vexame, mesmo porque desde 2009 só da Rio nas conquistas. Foi assim com Flamengo, Fluminense e Vasco. Todo ano um deles levanta uma taça nacional.
A minha torcida é que a luta pela sobrevivência seja na bola, e que os que caírem se planejem e sejam exemplos, em caso de retorno a Elite como foi o Palmeiras nesse ano.
O futebol precisa cada vez mais de brio, legitimidade e respeito pelo torcedor. Chega de bagunça, cartadas por debaixo do pano e enganações.
Até a próxima!