segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

ERROS E ACERTOS - Por Rodrigo Curty

E lá se foi mais uma rodada dos regionais, e com eles as reclamações, alegrias, tristezas e preocupações.
É bem verdade que não há uma rodada em que tudo sai perfeito. Que nenhum erro de arbitragem venha à tona, que não há uma torcida que envergonhe, neste caso o clássico de Goiânia entre Goiás e Vila Nova, e claro que uma torcida saia feliz e outra triste. 
A tristeza do final de semana é a falta de competência de autoridades e entidades que preparam ou deveriam preparar melhor os responsáveis pelo espetáculo que conta com um valor muito alto para os padrões do país. A Copa está aí, e essa conta vai demorar para fechar. Mas vamos as análises dos outros  quatro principais clássicos da rodada.
Em São Paulo, por exemplo foram dois. São Paulo e Portuguesa empataram sem gols, em erros de arbitragem. Já o Dérbi entre Palmeiras e Corinthians para alegria de todos houve a esperada paz das torcidas.Dentro do campo a velha rivalidade ficou aquém das expectativas. Uma partida morna no primeiro tempo e bastante disputada e repleta de alternativas no segundo, assim o empate por 1x1, gols do carrasco palmeirense Romarinho e do artilheiro palestrino Alan Kardec. Se Valdivia foi mal, o estreante Jadson provou que o Timão acertou em levá-lo e que pode ser o 10 que a torcida tanto espera. 
E por falar em camisa 10, no Rio de Janeiro o Vasco tem a certeza de que encontrou a solução. Douglas, ex-Corinthians estreou muito bem no clássico dos milhões, este por sinal, o melhor jogo do Cariocão. O meia chamou o jogo, deu alternativas de contra-ataques, bateu falta, em uma delas, inclusive fez um belo gol, que foi mal anulado pelo fiscal de linha, que sabe Deus olhava o que.E detalhe que a partida estava 0x0. De qualquer maneira, o Cruzmaltino saiu na frente sobre o Flamengo, que por sua vez teve um gol de Elano, de falta que a bola também ultrapassou a linha, mas que foi validado. Polêmicas para o intervalo, reclamações justas do lado alvinegro e um segundo tempo mais do Rubro-Negro que conseguiu a virada no final, graças ao gol de Gabriel. Errar é humano, mas quando isso ocorre, seja para qual lado for, as críticas e a falta de aceitação nos fazem querer cada vez mais que a bola tenha chip.Se isso fará perder a graça do erro humano, por outro lado ganhará pelo menos na justiça, uma vez que fair play é algo raro nas equipes que são antes de mais nada competitivas.
Já em Minas, Atlético MG e Cruzeiro fizeram um bom jogo. Muitas chances de gols para ambos os lados, goleiros em destaque e para tristeza da torcida, o principal ficou para uma próxima partida.É aguardar para ver se a bola vai entrar.
Até a próxima!