sexta-feira, 28 de março de 2014

ALEGRIA VERDE E GUERRA NO MARACA - Por Rodrigo Curty

E a noite de quinta-feira trouxe o complemento da rodada nas fases decisivas nos regionais de São Paulo e no Rio de Janeiro.
No Pacaembu, o Palmeiras encarou o Bragantino e não deu sopa para o azar. Em partida bastante pegada, muitas das vezes sem o controle da arbitragem, Valdivia que jogou com muita raça e disposição e companhia mostraram que não é à toa que a equipe comandada por Gilson Kleina foi a segunda melhor classificada. Já os comandados de Marcelo Veiga se preocuparam mais em não levar gols. Para quem esperava uma equipe jogando como nas vitórias contra São Paulo e Corinthians, viu um time batendo e errando demais.
O primeiro gol saiu da falha da zaga que curiosamente ainda não havia levado nenhum gol de cobranças de escanteio, melhor para o artilheiro Allan Kardec que não vacilou.
Daí para frente houve uma pressão alviverde para cima dos alvinegros, porém com apenas mais um gol, do meia Wesley. Destaque do adversário para o goleiro Rafael Defendi, que sem trocadilho defendeu pelo menos três grandes bolas. 
No domingo será a vez do Verdão receber o Ituano, no mesmo palco às 18h30 para ver quem avança às finais.
Já no Rio de Janeiro, a primeira semifinal entre Vasco e Fluminense terminou empatada em 1x1. Com um Maracanã vazio, isso mesmo, com menos de 11.000 torcedores, o que se viu foi um jogo tecnicamente fraco, porém disputado e com muita disposição.
O Cruz-maltino jogou melhor que o tricolor. Colocou duas bolas na trave, não teve pênalti marcado a favor, mas pecou nos erros da última bola. Já os comandados de Renato Gaúcho definitivamente não passam confiança a sua torcida quando jogam clássicos. O time venceu no ano apenas o Flamengo, e mesmo assim após longo jejum.
O primeiro gol foi tricolor. Falha de marcação vascaína, após bela jogada de Jean e gol de Fred, bom para Seleção Brasileira, uma vez que o artilheiro voltou a boa fase de gols. O Vasco empatou com a revelação Thalles, depois de mudanças táticas de Adilson Batista. O treinador colou o atacante, o lateral Renan Oliveira e o meia Fellipe Bastos, e não é que mudou o jogo?
No domingo, o Vasco precisa vencer para avançar às finais. Novo empate classifica o time das Laranjeiras. Promessa de mais guerra dentro do campo.

Até a próxima!